! Criador de gigantes, artesão já produziu bonecos para folia, casamentos e até enterros - Últimas Notícias - UOL Carnaval 2011
$import.read("http://tcinclude.sys.intranet/_template/web/barra-uol/barra-uol.htm")
  • http://carnaval.uol.com.br/2011/ultimas-noticias/redacao/2011/02/26/criador-de-gigantes-artesao-ja-produziu-bonecos-para-folia-casamentos-e-ate-enterros.htm
  • Criador de gigantes, artesão já produziu bonecos para folia, casamentos e até enterros
  • 20/09/2019
  • UOL Entretenimento - Carnaval 2011
  • UOL Carnaval 2011
  • @CarnavalUOL #Carnaval2011
  • 125
Tamanho da letra
26/02/2011 - 07h00

Criador de gigantes, artesão já produziu bonecos para folia, casamentos e até enterros

GUILHERME GATIS
Colaboração para o UOL
Em Olinda (PE)
 
"Sinto orgulho de contribuir para a pluralidade do Carnaval, ajudando a consolidar um ícone que faz parte da tradição de Pernambuco. Hoje é impossível pensar o Carnaval de Olinda sem os bonecos gigantes”. A frase, dita enquanto termina o acabamento de mais uma de suas criações, ilustra bem a importância de Sílvio Botelho, o principal mestre bonequeiro do Carnaval pernambucano. 
 
Desde que criou seu primeiro boneco gigante, O Menino da Tarde, em 1974, Sílvio Botelho não parou. Ao longo de seus 37 anos de ofício, o mestre bonequeiro contabiliza quase novecentos gigantes. Neste período pré-carnavalesco o artesão trabalha todos os dias para poder atender a demanda. 
 
O processo de criação do boneco gigante -- do molde da cabeça, talhada em isopor, passando pela pintura do rosto, aplicação de cabelo e confecção da roupa -- dura em torno de um vinte dias. Para dar conta de entregar até dez novas criações por mês, Botelho trabalha com uma equipe de sete pessoas. “É um processo de criação contínua, estou sempre trabalhando para aprimorar a técnica e pensar novas formas de criar os bonecos”, comenta o artesão, que lamenta não poder incrementar suas criações com materiais mais refinados. “Infelizmente o látex é um material muito caro, não tenho condições de utilizá-lo nas minhas obras”.  
 
A procura por novos bonecos não se restringe ao período carnavalesco. “Recebo encomendas o ano inteiro, para os mais diversos eventos, como feiras e festas. Já fiz muitos bonecos para casamentos. A encomenda parte da família, geralmente como uma surpresa para os noivos. Também já fiz bonecos que foram utilizados em enterro, como forma de homenagem. Os gigantes são a cara do Carnaval, mas vão além, é uma tradição consolidada da nossa cultura”.
 
Encontro de Gigantes
 
O principal momento do ano para Botelho é a terça-feira de Carnaval, quando o mestre bonequeiro surge à frente de centenas de bonecos gigantes. O Encontro de Bonecos gigantes, idealizado por Silvio, reúne, há mais de vinte anos, criações dele e de outros mestres bonequeiros. “É uma forma de celebrar o Carnaval e também de celebrar nosso trabalho. Passamos o ano inteiro trabalhando na confecção dos gigantes, o encontro é uma forma de comemorarmos o sucesso do Carnaval”. 
 
O primeiro gigante a abrir o cortejo é uma nova criação de Sílvio, que homenageia um artista local. Para o Carnaval de 2011 o escolhido foi o forrozeiro Alcimar Monteiro. “Sempre procuro homenagear os artistas pernambucanos. Temos uma riqueza cultural inesgotável, não precisamos buscar nada de fora. Acho fundamental valorizarmos o que é nosso”, comenta o mestre, cercado em seu ateliê  por gigantes da cultura pernambucana, como Capiba e Luiz Gonzaga.

Últimas do Carnaval DE RECIFE E OLINDA

Mais Notícias

Últimas do Carnaval do Brasil

Mais Notícias
$import.read("http://tcinclude.sys.intranet/_template/web/barra-uol/barra-uol.htm")