"Vamos juntar nossos caquinhos e começar tudo outra vez", diz gerente da Inocentes de Belford Roxo

Fabíola Ortiz

Do UOL, no Rio de Janeiro

Para o gerente de Carnaval da Inocentes de Belford Roxo, Pedro Aridio, o rebaixamento à Série A do Carnaval carioca, antigo Grupo de Acesso, foi uma grande decepção e uma frustração. "[Foi] uma pena, fizemos um alto investimento de R$ 7 milhões", disse ele ao UOL. "Desfilamos muito bem, segundo nossos conceitos."

No entanto, para Aridio, a escola está de cabeça erguida. "Vamos juntar nossos caquinhos e começar tudo outra vez. Fizemos um trabalho direito e sério. Não tivemos nenhum problema, nenhum carro nosso quebrou e não tivemos alas invertidas como outras escolas que tiveram carros desacoplados."

Aridio diz que o desfile da Inocentes foi tecnicamente perfeito, "mas os jurados viram outra coisa". Para o gerente, existem quesitos nos quais a escola não admite perder tantos pontos, como mestre-sala e porta-bandeira. O casal Lucinha Nobra  e Rogerinho, é, para Aridio, "um casal super premiado que há quatro anos tira 10".

"De repente, só porque dancou na Inocentes só teve um 10 e nota 9,8." Em 2012, o casal desfilou pela Portela.

"A gente fez um trabalho dessa envergadura e os jurados não entenderam. A bandeira das escolas tem peso, o julgador julga o nome da escola e não o trabalho."

A Inocentes de Belford Roxo apresentou o enredo "As Sete Confluências do Rio Han", em homenagem aos 50 anos de imigração coreana no Brasil. Ao final da contagem das notas, a agremiação ficou com ficou com 291,1 pontos. A escola conseguiu apenas uma nota 10, no quesito Mestre-sala e porta-bandeira.

Veja também



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos