Rio de Janeiro

Com homenagem a político, Vila Isabel inicia ensaios técnicos no Sambódromo

Anderson Baltar

Colaboração para o UOL, do Rio

Em meados de dezembro, a atenção de todos se voltam para as festas de final de ano. Para o mundo do samba, já é reta final na preparação para o Carnaval. Marcada para a primeira semana de fevereiro, a folia carioca iniciou uma etapa importante neste domingo (13), com o início de uma das temporadas mais aguardadas pelos fãs das escolas: os ensaios técnicos na Passarela do Samba.

Para um público modesto, certamente pelo fato do carioca comum ainda não estar em ritmo de folia, a Unidos de Vila Isabel, décima-primeira colocada no desfile de 2015, foi a primeira escola do Grupo Especial a tomar a pista da Marquês de Sapucaí.

Com uma nova gestão (Luciano Ferreira é o terceiro presidente que dirige a escola nos últimos três anos), vários problemas financeiros e muita vontade de dar a volta por cima, a escola do bairro de Noel Rosa apresentará, no Carnaval 2016, o enredo "Memórias do Pai Arraia, um sonho pernambucano, um legado brasileiro", do carnavalesco Alex de Souza, que homenageará o falecido político Miguel Arraes.

A julgar pelo que apresentou na avenida neste domingo, a Vila Isabel parece pronta para apagar a má impressão dos dois últimos carnavais. Escorada por um bom samba-enredo, composto por astros consagrados do samba como Martinho da Vila, Mart'nália e Arlindo Cruz, a azul e branca fez um ensaio muito animado, mostrando alas com canto forte e samba no pé.

No início da escola, a comissão de frente, comandada por Jaime Arôxa, fez uma evolução descontraída e com uma coreografia simples, sem revelar muitos detalhes do que realmente fará no desfile oficial. Em meio ao grupo, dois bailarinos dançavam frevo animadamente.

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Phelipe Lemos e Dandara Ventapane, fez a sua primeira apresentação na Sapucaí dançando juntos. O mestre-sala, revelado na Vila, volta a escola neste carnaval após passagem marcante pela Imperatriz Leopoldinense. Dandara, neta da Martinho, assumiu o posto pouco antes do desfile passado e vive seu primeiro ciclo completo empunhando a bandeira da escola. Os dançarinos apresentaram-se com uma coreografia bem marcada, mas foram prejudicados pelo vento, que dificultou o giro da bandeira.

Vento este que antecipou mais um ingrediente no ensaio da Vila Isabel: a chuva. No momento em que a bateria saiu do primeiro recuo em direção à pista, uma leve garoa começou a cair. Em questão de minutos, ela se intensificou. Mas a escola não deixou o ritmo cair e evoluiu com muita leveza e animação. O detalhe interessante é que muitos componentes usavam chapéus com sombrinhas de frevo – o que foi de grande valia para enfrentar a chuva.

À frente da bateria de mestre Wallan, Sabrina Sato, mais uma vez, sacudiu as arquibancadas. Mesmo sendo uma artista e sem sequer morar no Rio de Janeiro, a apresentadora, a cada ano, se torna uma pessoa mais integrada com a comunidade da Vila Isabel. Os ritmistas fizeram um ótimo espetáculo, com um ritmo bastante cadenciado e paradinhas precisas.

O intérprete Igor Sorriso, estreante na escola (estava na São Clemente até o carnaval passado), foi outro destaque, conduzindo o samba com ótima técnica e comunicação com o público.

Neste primeiro dia de ensaios técnicos ainda desfilaram a Acadêmicos da Rocinha e a Alegria da Zona Sul (ambas da Série A, equivalente ao Grupo de Acesso). Os ensaios técnicos prosseguem na próxima semana com os treinos da União do Parque Curicica (Série A), Estácio de Sá e Estação Primeira de Mangueira. 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos