Maju Coutinho, do "JN", vira tema de marchinha

Do UOL, em São Paulo

A jornalista Maria Júlia Coutinho, também conhecida como Maju Coutinho, a moça do tempo do "Jornal Nacional", virou tema de marchinha às vésperas do Carnaval. A música foi intitulada como "Bom te ver Maju" e foi composta pelo Poeta Cidinho. 

"Ganhei uma marchinha. Estou 'frevando' sozinha", brincou a jornalista por meio de seus perfis nas redes sociais.

Formada pela Cásper Líbero e com rápida passagem pela TV Cultura, Maria Júlia iniciou a sua carreira no jornalismo da Globo como repórter de telejornais locais, em São Paulo. Se tornou pouco tempo depois a moça do tempo no "SPTV", "Bom Dia São Paulo", "Bom Dia Brasil" e também no "Hora 1". Ela é conhecida na Redação paulista com esse apelido, "Maju".

É considerada uma das repórteres mais simpáticas da emissora, e ganhou uma legião de fãs nas redes sociais depois que passou a interagir diariamente --e de forma descontraída-- com o âncora William Bonner no "Jornal Nacional". Maju é a primeira mulher negra a se tornar a moça do tempo do "JN", função que ocupa desde abril.

Maria Júlia Coutinho --ou simplesmente Maju-- sofreu ofensas racistas em julho em uma publicação com a sua imagem na página oficial do "JN" no Facebook. Alguns internautas fizeram piadas e publicaram comentários pejorativos e racistas, como "Só conseguiu emprego no 'Jornal Nacional' por causa das cotas. Preta imunda" ou "Vá fazer as previsões do tempo na senzala".

Revoltados, internautas, telespectadores, famosos, colegas de Redação e profissão saíram em defesa da jornalista, publicaram comentários de repúdio e subiram a hashtag #SomosTodosMajuCoutinho.

UOL Cursos Online

Todos os cursos