Salvador

Carnaval sem trio elétrico do Pelourinho é opção para fugir do axé na Bahia

Luciano Matos

Colaboração para o UOL, em Salvador

  • Ronaldo Silva

    Carnaval nas ladeiras e largos do Pelourinho reúne shows e blocos sem trio elétrico

    Carnaval nas ladeiras e largos do Pelourinho reúne shows e blocos sem trio elétrico

O tradicional bairro do Pelourinho – reduto cultural de Salvador, por muito tempo deixado de lado durante o Carnaval – há alguns anos vem se consolidando com uma opção de entretenimento também durante a folia. Por suas ruas, largos e praças podem ser vistos blocos afro, bandinhas, fanfarras, microtrios, atrações para o público infantil e artistas de vários estilos. Entre os dias 5 e 9 de fevereiro – período em que os astros do axé arrastarão multidões nos circuitos mais comerciais da capital baiana – o Pelourinho receberá mais de 130 artistas de diversos estilos, além de dezenas de blocos afro e de matriz africana desfilando pelas ruas do bairro, no chamado Circuito Batatinha. Tudo sem trio elétrico.

O Pelourinho é o destino de quem quer se divertir, mas prefere fugir do som alto e da multidão. Entre as atrações há veteranos e quase esquecidos artistas da axé music, ícones da música baiana e alguns dos nomes da cena contemporânea de rap, rock, reggae e pop, além de convidados de fora do estado. Com sedes no Pelourinho, saem de lá também blocos afro tradicionais, como Filhos de Gandhy, Olodum e Muzenza. Além de shows individuais, a programação inclui encontros entre artistas no palco principal, como o que vai reunir o novo baiano Paulinho Boca – o cantor do Trio Armandinho Dodô & Osmar – André Macedo e a cantora Cláudia Cunha.

A lista de veteranos que animarão o Carnaval do bairro é curiosa. Estão programadas apresentações de Armandinho Macêdo – filho de um dos inventores do trio elétrico –, Gerônimo, autor de clássicos como "Eu sou Negão", Lazzo Matumbi, um dos veteranos do Carnaval baiano, Márcia Short, cantora que integrou a banda Mel de 1989 a 1993, e Missinho, cantor e principal compositor do Chiclete com Banana nos anos 80.

Em 2016, o Carnaval do Pelô homenageia o centenário do samba. Destacam-se na agenda os shows de Nelson Rufino, autor de "Todo menino é um rei", sucesso na voz de Alcione, e "Verdade", gravada por Zeca Pagodinho, e Riachão, compositor de "Cada Macaco no Seu Galho", sucesso nas vozes de Caetano e Gil. Na programação estão também Raymundo Sodré, Walmir Lima, Firmino de Itapoan e Gal do Beco, entre outros sambistas e grupos.

Sidney Rocharte
O bloco afro Filhos de Gandhy tem sede no Pelourinho e faz sua saída no Carnaval

Além do samba, o Carnaval do Pelô tem confirmados também shows de Paula Lima, Moreno Veloso, Felipe Cordeiro, Zezé Motta e a banda pop Scambo, que participou da última edição do programa Superstar, da Globo. Destacam-se ainda na agenda a banda BaianaSystem – atual fenômeno na cidade, com shows lotados durante todo o ano –  IFÁ Afrobeat, Diamba, Sine Calmon, DaGanja, Opanijé, Gabi Guedes, Mestre Lourimbau, Mamá Soares, Afro Jhow e Lucas Di Fiori. Os antigos carnavais serão representados por Retrofolia, Manuela Rodrigues e Lia Chaves.

Tradicionalmente organizado pelo governo da Bahia, por meio da Secretaria de Cultura, o Carnaval do bairro ganha em 2016 também um palco da prefeitura. Entre os dias 6 e 9 de fevereiro, ocorrem shows de Simples Rap'ortagem, Nova Era, Kamaphew Tawa e Banda Aspiral do Reggae e Rafael Pondé, entre outros.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos