Salvador

Casos de feridos em brigas mais que dobram no Carnaval de Salvador

Do UOL, de São Paulo

  • Valter Pontes/Prefeitura de Salvador

    Foliões curtem Carnaval na Barra, onde há o maior número de casos de agressão

    Foliões curtem Carnaval na Barra, onde há o maior número de casos de agressão

O número de foliões feridos por por motivos como brigas tem crescido no Carnaval de Salvador. A festa ainda mal começou, mas já são 188 pessoas atendidas pelas unidades de assistência à saúde instaladas nos circuitos do Carnaval da cidade com o mesmo problema: traumas na região da boca, maxilar e rosto.

Segundo a Agência de Notícias da Prefeitura, o número de casos como esses cresceu 141% se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 78 atendimentos.

"Tivemos um dia a mais de festa, o que pode estar relacionando com este aumento de casos. Mas, o que de fato tem nos surpreendido é o crescimento dos episódios de violência, sobretudo os casos de agressões físicas e por arma branca, que têm encabeçado os registros de atendimentos nos circuitos", declarou José Antonio Rodrigues Alves, secretário municipal da pasta, em coletiva realizada hoje pela manhã na Sala de Imprensa Oficial do Carnaval.

Mesmo assim, dentre todos os atendimentos os que precisam de cirurgiões especializados na região da face representam apenas 13,5% do total. A maioria dos foliões feridos (67,7%) recebe cuidados clínicos variados. As principais causas de atendimentos são foram agressões físicas, intoxicação alcoólica, dor de cabeça, dor de membros inferiores e agressão por arma branca.

Ainda segundo a agência, o circuito Barra/Ondina é o que registrou a maioria das ocorrências por agressão física (62,9%), seguido do Campo Grande, com 36,7%. A maior parte das vítimas são homens entre 20 e 29 anos.

Casos graves

Por volta das 23h de sexta-feira, 5, um folião de 35 anos foi encontrado já sem vida em Ondina e conduzido ao módulo Ademar de Barros pela polícia. O corpo apresentava duas facadas, nas costas e no peito, além de pequeno trauma no rosto. Ainda na noite de sexta, um homem de 23 anos foi baleado no pescoço na Barra e, após ser estabilizado na unidade municipal do circuito, foi encaminhado para o hospital.

Outro jovem de 18 anos foi agredido com quatro facadas nos braços e nas costas no Relógio de São Pedro, e, após ser atendido por profissionais da Prefeitura no módulo da Montanha, também foi removido para uma unidade hospitalar.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos