São Paulo

Com novo carnavalesco e mais luxo, Império de Casa Verde desfila mistérios

Do UOL, em São Paulo

Reconhecida pela grandiosidade de seus carros alegóricos, a Império de Casa Verde, segunda escola do Carnaval 2016 de São Paulo a entrar neste sábado (6) no Anhembi, tentou quebrar o jejum de dez anos sem títulos trazendo uma nova ótica. O responsável por essa mudança foi o carnavalesco Jorge de Freitas, ex-Rosas de Ouro, que teve o desafio de fazer um desfile com a sua assinatura, mas sem perder a identidade luxuosa do "Tigre Guerreiro".

A combinação deu certo e a agremiação da zona norte de São Paulo apresentou alegorias e fantasias ainda mais suntuosas do que de costume, em um desfile tradicional, que apostou em muitas plumas, fantasias bem acabadas e volumosas, que deixaram as alas compactas e bem preenchidas.

O enredo, bem abstrato, falou do mistério da vida. A proposta era viajar por tudo aquilo que o homem busca explicação, como os mistérios da fé, da morte, de civilizações antigas ou míticas e da vida em outros planetas.

A junção da "megalomania" da Império com o pendor para o luxo de Jorge de Freitas resultou também em carros gigantes, como o enorme abre-alas, dividido em três módulos, ladeado por tigres de grandes proporções e com fontes de água, representando a cidade mítica do Eldorado.

Rogério Canella/UOL
Com lentes vermelha, Lívia Andrade representa anjo da morte

A segunda alegoria representava a fé, com predominância de cores que remetem à vida religiosa, como o dourado e o vinho. Na sequência, as alegorias chamadas pelo carnavalesco de nave-mãe traziam a Atlântida e o calendário Maia. A comissão de frente abriu o desfile com um integrante representando o criador do mundo, em meio a componentes divididos entre as trevas e a luz.

Jorge investiu pesado na aproximação com a comunidade para que a escola seja reconhecida também pela harmonia, evolução e entrega dos componentes na defesa do samba, e conseguiu entregar um desfile sem problemas nem correria, encerrado após 57 minutos dos 65 permitidos.

No fim do desfile, Jorge comentou o desempenho: "Independente do resultado, nós fizemos um Carnaval para ser campeão. Só de fazer esse espetáculo, é a Império renascendo. Eu acho que o gigante adormecido apareceu novamente".

Ele também falou da troca de escolas. "Eu sou um profissional do Carnaval, mas é claro que agente se apega, mistura emoção. A Rosas de Ouro --onde eu passei oito carnavais, nove anos de convivência--, eu agradeço pelo tempo que eu passei. A coisa foi recíproca, eu doei e sempre tive um carinho muito grande da comunidade. Agora na Império eu pretendo fazer o mesmo trabalho".

À frente da poderosa bateria, reinaram a rainha Valeska Reis (assistente de palco de Rodrigo Faro na Record) e a madrinha Lívia Andrade, atriz e musa de Silvio Santos no SBT, que usou lentes vermelhas, representando o anjo da morte.

Confira a ordem dos desfiles do segundo dia no Anhembi:

22h30 – Unidos do Peruche
23h35 – Império de Casa Verde
0h40 – Acadêmicos do Tucuruvi
1h45 – Mocidade Alegre
2h50 – Vai-Vai
3h55 – Dragões da Real
5h00 – X-9 Paulistana

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos