Rio de Janeiro

Ousadia de Paulo Barros na Portela impressiona com efeitos e coreografias

Do UOL, no Rio

OUÇA O DESFILE COMENTADO:

Sem conquistar o título do Carnaval carioca desde 1984, a Portela entrou na avenida ansiosa para voltar ao topo do pódio. E, para isso, lançou uma boa cartada: a contratação do carnavalesco Paulo Barros, um artista marcado pela ousadia. O artista colocou, logo na abertura da apresentação, três paraquedistas planando sobre a Sapucaí e aterrissando na avenida, à frente da escola, sob ovação do público.

Quarta escola do Carnaval 2016 do Rio de Janeiro a passar pela Marquês de Sapucaí, já na madrugada desta terça-feira (9), a Portela trouxe o enredo "No Voo da Águia, uma Viagem Sem Fim" com a marca pop do carnavalesco, saudando a águia, símbolo da escola, que fez uma viagem por toda a história da humanidade. "Foi excepcional. Saiu tudo como eu imaginava. A Portela trouxe a fênix e a escola se transformou de novo na Portela", disse Paulo Barros, ao fim do desfile.

Marcelo de Jesus/UOL
A comissão de frente da Portela trouxe um elemento alegórico com 30 toneladas de água em um tanque, onde Netuno flutuava sobre jatos de água --usando o chamado "flyboard"

Um dos destaques do desfile, a comissão de frente relembrou a "Odisseia" de Homero e veio com 14 bailarinos e um elemento alegórico com 30 toneladas de água em um tanque, onde Netuno flutuava sobre jatos de água --usando o chamado "flyboard". O bailarino Lucas Camilo, 19, calcula que subiu e desceu cerca de 18 vezes no carro. A comissão de frente começou a ensaiar em outubro. "É um sonho lindo. Mais que perfeição. A recepção do público é uma coisa inexplicável", disse ele, que desfilou pela primeira vez.

Logo atrás, veio outro momento de impacto preparado por Barros: sobre a águia, símbolo da escola, Moisés abria o mar Vermelho --representado por integrantes com estandartes de tecidos azuis-- e o atravessava até chegar ao Monte Sinai, onde a ave pousava. Após um abre-alas representando o Egito Antigo, com a dançarina Gracyanne Barbosa entre os destaques, a escola lembrou no segundo carro os grandes navegadores --vikings, chineses, portugueses e espanhóis-- com um navio que oscilava de um lado para o outro, com acrobatas saltando entre mastros e velas.

Outra alegoria impressionou com um Gulliver (personagem de "As Viagens de Gulliver") de 18 metros, que começava deitado e era erguido, com integrantes que ficavam pendurados, interpretando o minúsculo povo liliputiano do livro de Jonathan Swift. Luciana Souza, bailarina que tem experiência em rapel e escalada, foi uma das dez integrantes a ficar penduradas. "Medo é uma coisa que não existe. Ensaiamos desde setembro para que tudo saísse perfeito e saiu até melhor do que imaginávamos. A gente já sabia que ia causar impacto na avenida, por isso a gente botou o sangue".

O setor homenageava as viagens da imaginação, da ficção e da literatura. Em outro carro, as viagens espaciais foram lembradas, valendo-se de uma homenagem ao seriado "Perdidos no Espaço", com direito a um drone que voava de um carro a outro. Com uma outra alegoria inspirada no filme "Jurassic Park", a azul e branco enfocou a busca arqueológica de vestígios, rastros e fósseis dos tempos pré-históricos. Nas laterais, integrantes vestidas de arqueólogas eram engolidas por tiranossauros, em um efeito muito divertido.

A marca registrada de Paulo Barros, os carros coreografados, apareceu com força no quinto setor, em uma alegoria representando um templo pré-colombiano todo em dourado, com integrantes também com os corpos pintados de dourado, onde era encenada uma luta com um conquistador espanhol, que caía do alto do carro.

O desfile passou ainda pelas viagens pelos ambientes extremos das geleiras e desertos e buscas lendárias, como a pelo Santo Graal e as Minas do Rei Salomão, para encerrar representando as viagens ilimitadas e infinitas possibilitadas pela internet.

Depois de impressionar o público em diversos momentos, a Portela encerrou a apresentação aos gritos de "é campeã".

Confira a ordem dos desfiles no segundo dia na Sapucaí:

21h30 – Vila Isabel
Entre 22h35 e 22h52 – Salgueiro
Entre 23h40 e 00h14 – São Clemente
Entre 00h45 e 01h36 – Portela
Entre 01h50 e 02h58 – Imperatriz Leopoldinense
Entre 02h55 e 04h20 – Mangueira

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos