São Paulo

Jurados "esquecem" de dar notas e membros de escolas se revoltam em SP

Do UOL, em São Paulo

O jurado Jorge Martins, do quesito Evolução, deixou de dar nota para a escola Império de Casa Verde na apuração do Carnaval de São Paulo e provocou revolta entre os diretores de escolas rivais que acompanhavam a leitura das notas nesta terça-feira (9). Policiais tiveram que intervir e houve detenção de um representante da escola Unidos de Vila Maria.

Com o incidente, a Império - que se consagrou campeã ao final do apuração - acabou levando duas notas 10 no quesito Evolução, um dos que teve as análises mais rigorosas dos jurados.

O artigo 30 do regulamento oficial do Carnaval 2016, em seu parágrafo primeiro, diz que "no caso de um jurado deixar de atribuir nota ao quesito em julgamento de determinada escola de samba, será atribuída a essa agremiação a maior nota dada pelos demais jurados que avaliaram esse quesito". O regulamento também prevê "sanções" ao jurado que deixar de dar nota.

Representantes das escolas presentes, em especial da Unidos de Vila Maria, se revoltaram com o ocorrido e provocaram tumulto na apuração, que teve de ser interrompida até que o presidente da Liga destacasse o parágrafo de regulamento que prevê a situação e a leitura de notas pudesse continuar.

"[Estou revoltado] Por causa da irregularidade na análise do Carnaval paulista. Fizemos um desfile tecnicamente perfeito e ele dá dois 9,5. Ano passado foi a mesma coisa, nesse mesmo quesito. Agora nunca mais vamos fazer Carnaval em São Paulo", desabafou, irritado, o presidente da Unidos de Vila Maria, Adilson José de Souza.

Nova confusão voltou a ocorrer quando outro jurado, desta vez no quesito harmonia, deixou de atribuir nota à escola Dragões da Real no quesito. A apuração foi interrompida pela segunda vez.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos