São Paulo

Musa da Peruche que tirou a roupa no desfile prejudicou nota da escola

Do UOL, em São Paulo

A musa da Unidos do Peruche que tentou se despir durante o desfile acabou de fato prejudicando a nota da escola.

A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo divulgou nesta quinta (11) as justificativas das notas dos jurados, já anunciadas durante a apuração, na terça-feira. No quesito fantasia, a julgadora Klesia Salgado atribuiu um 9,2 para a Peruche e, em sua justificativa, citou: "Na frente da ala 9 (nove), a destaque de chão não apresentou fantasia de maneira íntegra, ou seja, a parte superior e seu costeiro cederam, deixando a destaque somente com a parte inferior da fantasia".

Fantasia foi o quesito em que a agremiação recebeu as notas mais baixas, somando apenas 28,2 pontos de 30 possíveis.

Durante o desfile da Peruche, no sábado (6), a modelo Ju Isen, destaque de chão da escola paulista, foi expulsa da avenida por despir parte de sua fantasia, em protesto após ser impedida pela escola de usar um tapa-sexo com a imagem da presidente Dilma Rousseff. A agremiação a obrigou a sair vestida com um comportado macacão cor da pele pelo Anhembi.

Em imagens exibidas pela TV Globo, a modelo apareceu se despindo do macacão em pleno desfile, jogando parte da fantasia no chão e deixando os seios à mostra. Na sequência, foi rapidamente retirada da avenida pelo presidente da Liga das Escolas de Samba, Paulo Sergio Ferreira, o Serginho.

O presidente da agremiação, Sidney de Moraes, o Ney, contou ao UOL que Isen --considerada musa das recentes manifestações contra o governo federal-- já havia dado problema durante os ensaios técnicos e que a escola pretende processá-la. "Ela não poderia ter desfilado nua. Foi convidada, mas assinou contrato com determinados termos a serem seguidos. Isso acaba denegrindo a imagem do Carnaval."

Após sair do desfile, Isen contou ao UOL que foi agredida por integrantes da escola. "Me jogaram no chão. Estou toda sangrando no pé. A mulher me deu um pescoção, um empurrão, me pisotearam, me chutaram, entendeu? Não sei se vou na delegacia, vou ver com a minha assessoria o que é melhor para fazer porque não vou ser agredida assim".

Gisele Alquas/UOL
Detalhe do tapa-sexo com imagem da presidente Dilma Rousseff

Ao saber que a escola pretende processá-la, Isen disse que fará o mesmo. "Vai me processar de quê? Carnaval é nudez, Carnaval é sensualidade. Existe algum contrato aonde eu digo para o presidente da escola de samba? Muito pelo contrário, a minha roupa nem seria essa. Enfim, ele vai me processar, eu também vou processar. Direitos humanos, direito da mulher, tem a lei aí, a Maria da Penha, eu fui agredida. Tenho provas."

Já Serginho alertou que a escola pode perder pontos nos quesitos fantasia e evolução. O episódio com Isen aconteceu em frente ao módulo onde ficam os jurados que julgam harmonia e alegoria.

Em entrevista ao UOL minutos antes do desfile, Isen contou porque queria usar o tapa-sexo. "A minha fantasia é a repudia que todos nós brasileiros temos pela presidente da República, por toda a corrupção, falta de segurança, falta de escola, falta de hospitais. Eu vim realmente para manifestar".

Primeira agremiação a entrar na avenida no sábado, a Peruche desfilou o enredo "Ponha um Pouco de Amor numa Cadência e Vai Ver que Ninguém no Mundo Vence a Beleza que Tem o Samba. Cem Anos de Samba, Minha Vida, Minha Raiz". A agremiação acabou em 12º lugar.

 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos