Rio de Janeiro

Jurado teria admitido manipulações de notas do Carnaval em suposto áudio

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Facebook/fabianoe.bonatto

    Fabiano Rocha (esq.) também é cantor sertanejo e já abriu show de Zezé & Luciano

    Fabiano Rocha (esq.) também é cantor sertanejo e já abriu show de Zezé & Luciano

O músico Fabiano Rocha, jurado do quesito Bateria afastado horas antes do desfile do Carnaval do Rio de Janeiro, teve um suposto áudio vazado pelo "Jornal Extra". A publicação deste sábado (20) do jornal carioca transcreveu uma suposta gravação de Fabiano com uma mulher, na qual ele fala em esquema de rodízio de notas.

"É natural que, para as escolas (de) que eu tirei ponto ano passado, eu dê uma 'moralzinha' a mais, de repente até com 10. É um rodizio natural, possivelmente eu vou beliscar alguma coisinha esse ano. A não ser que venha muito f..., é muito possível que eu vá tirar da Beija-Flor, que eu vá tirar do Salgueiro, que vá tirar da Tijuca", diz Fabiano na suposta gravação.

Em outro trecho do áudio divulgado pelo jornal, Fabiano, que também é cantor sertanejo, explica a manipulação de notas como uma "questão de inteligência".

"É uma questão de política, de inteligência. Já sabendo que o esquema é assim, tem que ser inteligente. Eu não posso perder a boquinha, perder o network, por ideologia. Ideologia não paga conta, não".

Fabiano Rocha seria um dos julgadores do quesito "bateria" no Carnaval 2016 do Rio, mas foi impedido pela Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) de trabalhar por suposta amizade com a dupla sertaneja Zezé Di Camargo & Luciano, homenageada este ano pela escola Imperatriz Leopoldinense.

Em entrevista ao UOL durante o Carnaval, Fabiano negou ser amigos dos cantores.

"Sou parte integrante desse meio, é humanamente impossível que eu não conheça as pessoas, nem que seja de 'oi'. Acabo conhecendo todo mundo por osmose, não tenho culpa. Mas não tenho amizade com eles [Zezé e Luciano]. O único acesso que tenho a eles é pelo Instagram, sigo os dois, mas nada além disso. Acompanho também o Luciano Huck e várias outras celebridades", defendeu-se o cantor e baterista na ocasião.

Polícia do Rio investiga denúncia

A Delegacia Fazendária da Polícia Civil do Rio instaurou na última quarta-feira (17) um inquérito para investigar as denúncias do diretor de Carnaval da escola de samba Beija-Flor, Laíla, sobre um possível esquema para favorecer a escola Unidos da Tijuca no resultado dos desfiles do Grupo Especial. 

Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil
Laíla, diretor da Beija-Flor, diz que a Unidos da Tijuca foi favorecida
Segundo Laíla, a Beija-Flor vem perdendo pontos ao longo dos últimos anos sempre nos mesmos quesitos – enredo e bateria – e isto se deveria ao fato de os jurados terem sido indicados pela ex-jurada Sulamita Trzcina, que seria amiga do presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta.

Em entrevista recente ao programa "Ponto de Samba", da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, Laíla afirmou ao apresentador Rubem Confete ter recebido um áudio de Fabiano Rocha, aparentemente o mesmo divulgado pelo "Jornal Extra".

Leia na íntegra a transcrição do áudio obtido pelo jornal Extra:

"Em off, até por uma questão política e inteligente de me manter, é natural que as escolas que eu tirei ponto ano passado, eu dê uma moralzinha a mais, algumas de repente até com 10. E escolas que eu dei 10 ano passado... É um rodizio natural, possivelmente eu vou beliscar alguma coisinha esse ano. A não ser que venha muito foda, é muito possível que eu vá tirar da Beija-Flor, que eu vá tirar do Salgueiro, que vá tirar da Tijuca. É muito possível. É uma questão de política, de inteligência. Já sabendo que o esquema é assim, tem que ser inteligente. Eu não posso perder a boquinha, perder o network, por ideologia. Ideologia não paga conta, não".

"O Salgueiro vai se f... Que que acontece? Tem muito crente na parada, e crente sabe que é um bicho radical, arbitrário, e o enredo não está favorecendo. Eles vão tomar pau numa porrada de coisa. Aquele negócio da Viviane Araújo... legal, bonito, bacana, mas a 'crentaiada' não desce na cabeça deles. Crente é uma raça que vai na igreja e quebra a imagem da Nossa Senhora e acha que está certo. Você acha que vai convencer crente do contrário?"

"Se eu quiser tirar um 'decimozinho', dois, dá para tirar. Perfeito não fica, cara. Se fosse assim, os discos de escola de samba, os CDs, seriam gravados com 200, 300 ritmistas. Como que são gravados? É um repique, um surdo, um surdo de segunda, de terceira, uma caixa de som. É assim que grava. Ali no meio da 'muvucada' toda, tem sempre um tamborim que sobra, um chocalho que sobra, uma caixa desencontrada. É que a gente vê pelo todo. Lembra ano passado, que eu não ia dar 10 para o Salgueiro e acabei dando? Teve umas sobrinhas, teve um leve desencontro. Mas falei: 'tudo bem, passou'. Ele chega com 10, mas nas primeiras passadas o 10 já vai indo embora. A gente dá 10 às vezes porque... não tem perfeito, o 10 é o que vai para o menos imperfeito, não tem muito o que inventar. Todas têm deficiência, um probleminha aqui, ali, todas tem."

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos