Rio de Janeiro

"Fiz uma aula de samba. Preciso de mais", diz Wanessa Camargo na Mocidade

Giovani Lettiere

Colaboração para o UOL, no Rio

23/01/2017 08h31

Wanessa Camargo não quer "atravessar" o samba durante sua estreia no posto de musa da escola Mocidade Independente de Padre Miguel, do grupo Especial do Carnaval do Rio. No fim da noite deste domingo (22), a cantora e filha de Zezé Di Camargo e Zilu Godoi foi a estrela do ensaio técnico da escola de samba na Marquês de Sapucaí. Cercada por três seguranças e duas assessoras, ela contou que está fazendo aulas de samba, esbanjou simpatia ao posar para selfies com integrantes de alas vizinhas e conversou com passistas. "Estou muito feliz de estar aqui. Não tenho outro pensamento que não este. É tudo mágico. Quero dar o meu sangue pela Mocidade", prometeu a musa da agremiação em entrevista ao UOL na concentração da passarela do samba.

Apesar de ter mostrado bastante jeito -- e fôlego -- para o ritmo, Wanessa, de 34 anos, reconheceu que quer mais. "Tenho que pegar mais samba no pé. Estava de férias e fiz apenas uma aula de samba, mas preciso de mais. Quantas eu puder fazer. Se puder, farei mil aulas", brincou a cantora, que ressaltou ainda a sua contribuição ao desfile da escola de samba de Padre Miguel, na zona oeste do Rio: "Vou trazer a emoção. Acho que a emoção conta mais do que o samba no pé. Vou desfilar na emoção. A Mocidade é minha escola favorita no Rio desde que eu tinha 12 anos de idade. Até que enfim me convidaram para desfilar. Estou me sentindo em casa".

É a segunda vez que a cantora desfila no chão no Carnaval: a primeira foi há 20 anos, como passista na paulistana Vai-Vai. Depois, ela defendeu as cores da Beija-Flor de Nilópolis e Imperatriz Leopoldinense -- ambas do Rio -- mas em cima de carros alegóricos, sem a responsabilidade de musa de chão. "Agora é bem mais difícil", reconheceu ela, que estará posicionada no desfile em frente ao carro alegórico de número cinco. A fantasia que usará no enredo "As Mil e Uma Noites de Uma Mocidade Pra Lá de Marrakesh" -- que homenageia o país africano do Marrocos -- ainda é um mistério. "Não sei muita coisa ainda sobre a fantasia. É segredo até para mim. Só sei que será verde com prata, com muitos cristais e muito brilho."

Wanessa espera contar com dois integrantes de sua família prestigiando o seu desfile, na segunda-feira de Carnaval, dia 27 de fevereiro. "Vou chamar a minha irmã, Camila, e minha mãe, Zilu, para estarem comigo aqui e me verem passar na Sapucaí. Ou elas vão desfilar como integrantes da diretoria ou vão ficar em algum camarote", comentou ela, que não citou o pai, Zezé, com quem estaria brigada desde o fim do ano passado. Os filhos da cantora, José Marcus e João Francisco, vão ficar sob os cuidados do pai, o empresário Marcus Buaiz. "Os meus filhos não virão. São muito pequenos ainda. Dormem cedo à noite. Nem no Natal ficaram acordados até tarde. Depois eu vou mostrar os vídeos da mamãe na Sapucaí para eles", prometeu.

E não está nos planos da musa virar a rainha de bateria no ano que vem. "Ser rainha exige muito mais responsabilidades. Acho que tem que ser da comunidade. Seria muita prepotência para mim. Estou feliz como musa. É uma grande honra."

Wanessa chegou à concentração do desfile por volta das 22h15, usando um roupão que escondia seu microvestido dourado. E logo em seguida sentiu vontade de ir ao banheiro, na Avenida Presidente Vargas, nos arredores da Sapucaí. "O banheiro químico está sujo", avisou uma de suas assessoras. "Mas eu tenho que ir, não tem jeito", sentenciou Wanessa, que foi assim mesmo. Às 22h35, ela se posicionou em frente a uma placa que indicava o carro alegórico de número 5, tirou o roupão e começou a sambar.

Já em frente ao Setor 1, ela foi ovacionada pela multidão que lotava a maior arquibancada da Sapucaí. Wanessa sabia o samba-enredo de cor e também as coreografias. E sambou bastante para uma estreante no posto. Foi assim durante os 50 minutos que demorou para cruzar os 700 metros da passarela do samba carioca, regados com apenas duas goladas num refrigerante de zero caloria "quente", como definiu uma de suas assessoras. Durante o trajeto, os três seguranças vigiavam as laterais, mas Wanessa quebrou o protocolo diversas vezes, posando para selfies com os fãs que estavam mais próximos das grades, dando trabalho aos profissionais. Chegou até a segurar uma bandeira gigantesca da escola de samba. Wanessa deu show de simpatia, esbanjando a tal emoção que ela havia prometido lá ainda na concentração. E foi apenas o ensaio.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Agência Estado
Da Redação
Estadão Conteúdo
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
Carnaval 2017
Topo