CarnaUOL

Com tradição e modernidade, Portela e Tijuca fazem bons ensaios na Sapucaí

Thyago Andrade e Marcos Ferreira/Brazilnews
Musa da Portela, Shayene Cezário participa do ensaio técnico da agremiação na Marquês de Sapucaí Imagem: Thyago Andrade e Marcos Ferreira/Brazilnews

Anderson Baltar

Colaboração para o UOL

13/02/2017 02h44

Ao longo de décadas, a tradicional Portela dominou o Carnaval carioca. Fundada em 1923, a azul e branca de Oswaldo Cruz e Madureira acumulou 21 campeonatos ao longo de sua trajetória. Enquanto a escola comemorava títulos sucessivos, a Unidos da Tijuca, fundada em 1931, tinha apenas uma conquista em sua história – no longínquo ano de 1936. Mas a história é repleta de ironias e reviravoltas.

Se a Portela vive um longo jejum de títulos, sem ganhar o Carnaval desde 1984, a Tijuca, que passou grande parte de sua existência nos grupos de acesso, tornou-se uma escola competitiva e moderna, conquistando três campeonatos nos últimos sete anos. E, curiosamente, uma das grandes apostas da Portela para voltar a vencer é justamente uma peça que foi fundamental na ascensão da escola do morro do Borel: o carnavalesco Paulo Barros. Em mais uma noite de Sapucaí lotada, as duas agremiações fizeram seu último apronto para os desfiles de segunda-feira de Carnaval.

Sem Paulo Barros, que não pôde comparecer ao ensaio por problemas de ordem pessoal, a Portela apostou na emoção para arrebatar o público que lotou as arquibancadas e frisas da Sapucaí. Em vários momentos, a escola fez menção ao presidente Marcos Falcon, assassinado em setembro do ano passado. Do grito de guerra do intérprete Gilsinho, ao tripé de abertura e às bandeiras no encerramento, a escola fez questão de homenagear o seu líder e de mostrar que faria um desfile em sua memória. Com um canto alto e forte, a Portela fez um ensaio arrebatador e emocionante em muitos momentos.

No canto da pista, discreto como sempre, o presidente de honra da escola, Monarco, assistia embevecido ao desfile da Portela. E se derramou em elogios à performance de seus componentes. “Respeito demais as concorrentes, mas hoje estamos mostrando que merecemos ser campeões”, afirmou o baluarte. À frente da escola, de braços dados com o novo presidente, Luis Carlos Magalhães, Tia Surica estava visivelmente emocionada.

hyago Andrade e Marcos Ferreira/Brazilnews
Bianca Monteiro samba à frente da bateria da Portela no ensaio técnico da escola na Marquês de Sapucaí Imagem: hyago Andrade e Marcos Ferreira/Brazilnews
 Na pista, além da empolgação dos componentes, se destacaram a bateria de mestre Nilo Sérgio, sempre cadenciada e precisa. Estreando no posto de rainha, Bianca Monteiro, cria da escola, deu um show de samba no pé e simpatia. Em seu ensaio, a Portela mostrou muita garra e deu um recado muito claro às concorrentes: ela está bastante viva e disposta a tudo para realizar o seu sonho de ser campeã novamente.

Atual vice-campeã, a Unidos da Tijuca mostrou a competência habitual em seu ensaio. Com um enredo que homenageia a música norte-americana, a escola deu mostras claras de que virá repleta de surpresas em suas coreografias. A comissão de frente, coreografada por Alex Neoral, chamou a atenção com a precisão nos movimentos. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Julinho e Rute, vieram caracterizados como Michael Jackson no clipe de “Thriller” e foram bastante aplaudidos.

Componentes em várias alas trouxeram passos marcados. Um dos destaques foi o grupo que fez coreografias idênticas à da cantora Beyoncé. Um dos grandes destaques do ensaio foi a bateria de mestre Casagrande, que levantou a galera com um ritmo contagiante. A despeito do samba contestado por crítica e público, as alas evoluíram com alegria. Conhecida como uma escola que costuma se preparar bem em todos os quesitos, a Unidos da Tijuca deixou bem claro que está preparada, mais uma vez, para brigar ferrenhamente pelas primeiras colocações.

A temporada de ensaios técnicos terá fim no próximo fim de semana. No sábado, ensaiarão a Unidos de Padre Miguel (Série A, equivalente ao Grupo de Acesso) e Imperatriz Leopoldinense. No domingo, acontecerá a lavagem da pista da Sapucaí pelas baianas de todas as escolas. Em seguida, a campeã de 2016, a Estação Primeira de Mangueira, realizará o teste de luz e som da Passarela do Samba.

Marcos Ferreira / Thyago Andrade / Brazil News
Juliana Alves samba à frente da bateria da Unidos da Tijuca Imagem: Marcos Ferreira / Thyago Andrade / Brazil News

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
Agência Estado
Estadão Conteúdo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
TV e Famosos
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
Topo