Blocos de rua

"Não haverá contador de público em blocos", diz secretário de Cultura de SP

Reinaldo Canato/UOL
O bloco Bando 7, que saiu em cortejo da esquina das ruas Harmonia e Purpurina, na Vila Madalena, no sábado (11) Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Jussara Soares

Colaboração para o UOL

13/02/2017 13h12

O secretário de Cultura de São Paulo, André Sturm, reforçou nesta segunda-feira (13) que não haverá limitação de 20 mil pessoas nos blocos de Vila Madalena e Pinheiros durante o Carnaval de rua, entre os dias 17 de fevereiro e 5 de março. "Claro que ninguém ficará com um contador, controlando a pessoas. Não haverá cordão de isolamento ou muros. As próprias pessoas que impedirão mais pessoas de chegarem", explicou o secretário em apresentação à imprensa.

Uma portaria da Prefeitura Regional de Pinheiros indicou que os blocos da região estavam limitados a 20 mil pessoas, o que gerou dúvida entre os foliões. "O blocos que levam mais pessoas foram convidados a desfilar em outras regiões da cidade, mas nenhum foi impedido de desfilar. Todos que se cadastraram e confirmaram o interessem vão desfilar", acrescentou. De acordo com Sturm, dos blocos de fora que desfilariam pela primeira vez em São Paulo, apenas um manteve o interesse diante da taxa de R$ 240 mil anunciada pela prefeitura. "Essa taxa seria usada para criar a infraestrutura para desfiles na Avenida Tiradentes", explicou. Como apenas o Pipoca da Rainha, de Daniela Mercury, não desistiu, ele sairá na Rua da Consolação, no dia 5 de março. "A taxa ainda não foi definida. Estamos fechando esta semana, vendo os custos que a prefeitura terá."

O Carnaval de rua de São Paulo terá 391 blocos, 28% a mais que no ano passado, quando 306 foram às ruas. Os desfiles ocorrerão em 29 prefeituras regionais. As áreas com maior concentração de blocos são: Sé (119), Pinheiros (89), Lapa (31), Vila Mariana (24) e Santana (17). Como ocorreu no ano anterior, haverá palcos com programações culturais das 19h às 23h para facilitar a dispersão dos foliões. Os palcos estarão no Largo da Batata, em Pinheiros, no Vale do Anhangabaú e na Praça das Artes.

"Concentração e dispersão foram combinadas com os blocos. Foram mais de 150 reuniões que as prefeituras tiveram com os blocos, combinando horário de concentração, percurso e horário de dispersão. Nós teremos palcos no Largo da Batata e no Anhangabaú, que vão começar à noite, para receber o público da dispersão tanto da Vila Madalena quanto dos blocos da Sé. A prefeitura fez toda a sua parte para evitar o que ocorreu no Carnaval nos anos anteriores", disse o prefeito em exercício e secretário das prefeituras regionais, Bruno Covas.

Neste ano, a folia paulistana nas ruas receberá um investimento de R$ 15 milhões do patrocinador oficial, a Skol, rótulo da fabricante de bebidas Ambev. Com este valor, o governo pretende que os investimentos públicos no Carnaval sejam mínimos. Em 2016, a festa nas ruas consumiu R$ 10,5 milhões, dos quais R$ 7 milhões dos cofres municipais e R$ 3,5 milhões da Amstel, cerveja do grupo Heinekein. "Ainda não temos a estimativa de quanto a prefeitura vai gastar, mas será muito menos que no ano passado pelo valor do patrocínio para este ano", observou Sturm.

Infraestrutura

A infraestrutura deste ano para a festa também é maior do que em 2016. Serão disponibilizados 14 mil diárias de banheiros químicos. Em 2016, foram 8.108. Os funcionários que farão a limpeza após a passagem dos blocos foram de 1.282 para 1.506. Serão 48 postos médicos, 365 ambulâncias de remoção (122 a mais que no ano anterior) e 209 ambulâncias UTIs (87 a mais). Os agentes de trânsito aumentaram de 1.700 e 2.900. De acordo com o patrocinador oficial, eles esperam atingir um público de 2 milhões de pessoas.

As vias em que os blocos estão proibidos de desfilar em São Paulo são as avenidas Paulo VI, Sumaré, Brigadeiro Faria Lima (entre a rua Teodoro Sampaio e rua Hélio Pelegrino), Brasil, Cidade Jardim, Nove de Julho, Pedroso de Morais, Eusébio Matoso e Rebouças; ruas Teodoro Sampaio, Cardeal Arcoverde, Henrique Schaumann, Paes Leme, Eugênio de Medeiros, dos Pinheiros (entre as avenidas Pedroso de Morais e Brigadeiro Faria Lima), Estados Unidos, Groenlândia e Butantã; Alameda Santos; e praças Benedito Calixto, Horácio Sabino, Edgard Hermelino Leite e Doutor Julio Conceição Neves -- além de praça Roosevelt e elevado Costa e Silva.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
Agência Estado
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Agência Estado
Carnaval 2017
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
Topo