Rio de Janeiro

Mordida por polêmica, Imperatriz faz bom ensaio no Rio e exibe Luiza Brunet

Anderson Baltar

Colaboração para o UOL, no Rio

19/02/2017 07h00

O público na Marquês de Sapucaí era apenas razoável em um sábado com vários blocos espalhados no Rio de Janeiro. Mas quem foi ao sambódromo na noite de 17 de fevereiro acompanhou a passagem de uma escola de samba que por muito tempo conviveu com o rótulo de certinha e técnica, mas que, desta vez, transbordou em emoção em seu ensaio. O principal motivo foi soltar o grito entalado na garganta desde a polêmica criada em torno de seu enredo em defesa dos índios do Xingu. Após críticas severas do setor do agronegócio a sua narrativa, que denuncia a destruição da natureza por conta das queimadas e do uso de fertilizantes, a escola de Ramos intensificou os ensaios para dar a resposta na avenida.

Pelo que foi apresentado neste sábado, a Imperatriz está no caminho certo. As alas se apresentaram cantando forte o samba, que apesar de ser um tanto extenso, teve bom desempenho. No início do desfile -- logo após a comissão de frente e o casal de mestre-sala e porta-bandeira Thiguinho Mendonça e Rafaela Theodoro -- quem roubou a cena foi Luiza Brunet. Desfilando de mãos dadas com o carnavalesco Cahê Rodrigues, a modelo lembrou os tempos em que foi rainha de bateria da escola e foi bastante aplaudida.

A Imperatriz evoluiu pela pista de forma compacta, sem deixar espaços entre as alas. Apenas o ritmo do ensaio foi um tanto lento – certamente pela preocupação da harmonia da escola em testar soluções para a redução do tempo de desfile de 82 para 75 minutos. Em vários momentos, as alas ficavam paradas demasiadamente – o que, em dia de desfile oficial, seria motivo para perda de décimos preciosos neste quesito.

Um dos grandes destaques foi a bateria de Mestre Lolo. Em seu segundo ano como diretor do segmento, o mestre mostrou por que é uma das grandes revelações do Carnaval carioca. Esbanjando entrosamento e sem perder a pegada, a bateria da Imperatriz levantou as arquibancadas. A rainha Cris Vianna brilhou mais uma vez e deu show de simpatia e samba no pé. Estreando no Grupo Especial, o intérprete Arthur Franco teve bom desempenho e cantou com garra e afinação.

A noite de ensaios foi aberta pela Unidos de Padre Miguel, que fez um ensaio animado e mostrou que é uma das favoritas a conquistar a única vaga no Grupo Especial em 2018. A temporada de ensaios técnicos termina neste domingo com a cerimônia de lavagem da pista pelas baianas de todas as escolas e com o ensaio da Estação Primeira de Mangueira, campeã de 2016.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Agência Estado
Da Redação
Estadão Conteúdo
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
Carnaval 2017
Topo