Rio de Janeiro

Blocos, boates, cinemas: Carnaval do Rio ganha guia com programação LGBT

www.riocarnaval.org
Carnaval carioca tem circuito voltado ao público LGBT Imagem: www.riocarnaval.org

Vinícius Lisboa

Da Agência Brasil

23/02/2017 17h20

Com uma programação de Carnaval que inclui blocos, boates, restaurantes e até cinemas, o guia Rio Gay Life foi lançado este ano para listar lugares receptivos e festas segmentadas para homens homossexuais, público que foi recentemente mapeado como o principal turista Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT) que visita o Rio na alta temporada.

Segundo uma pesquisa da Fundação Cesgranrio e do Instituto de Pesquisas e Estudos do Turismo do Rio de Janeiro divulgada no início do mês, 75% dos turistas LGBT estrangeiros que visitam a cidade são homens, 70% têm nível superior e 55% vem da Europa.

Para 70% desses turistas, o Rio de Janeiro é uma cidade gay friendly (amigável para homossexuais). Com foco neste perfil, o jornalista Felipe Martins preparou o guia bilíngue, que deve ter uma tiragem de ao menos 1,5 mil exemplares e será distribuído na rede hoteleira de Copacabana e Ipanema, bairro apontado pela pesquisa como o preferido dos turistas homossexuais.

Aos 36 anos e com alguns Carnavais no currículo, como ele mesmo brinca, Martins comemora que a programação cresceu nos últimos anos: "O guia acompanha esta evolução. Há dez anos, não daria pra fazer um guia com blocos por só existirem um ou dois. Felizmente, o problema agora é falta de papel pra colocar todos", conta o jornalista, que apontou alguns como o Bunytos de Corpo, o Viemos do Egyto e a Banda de Ipanema. "E incluí o Toco-Xona, um bloco muito querido por mulheres lésbicas e pessoas trans".

Por outro lado, ao entrar em contato com estabelecimentos que poderiam ser incluídos na lista, ele ouviu alguns "nãos", inclusive de locais tradicionalmente frequentados por homossexuais.

"A resposta que eu tinha era que não queriam ficar marcados por um público apenas. Mas a ideia do guia não é esta. É mostrar que você acolhe bem todos os públicos, incluindo o gay". Além do folder impresso, o guia terá também uma página no Facebook, onde serão incluídas mais recomendações.

O peso do turista LGBT no carnaval do Rio também já foi mapeado pela prefeitura. Uma pesquisa da Riotur e da Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual (Ceds) de 2014 apontou que 30% da renda obtida com o evento naquele ano veio de turistas LGBT, público que foi estimado 15% do total.

O turista LGBT foi identificado como um perfil que gasta mais e permanece mais dias na cidade, e movimentou R$ 461 milhões naquele ano. A pesquisa não foi repetida, mas, para este ano, a Ceds preparou ações direcionadas ao público LGBT, como o lançamento da campanha Rio+Respeito.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Agência Estado
Da Redação
Estadão Conteúdo
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
Carnaval 2017
Topo