CarnaUOL

Preta defende marchinhas politicamente incorretas. "Vou continuar cantando"

Reprodução/TV Globo
Preta Gil defende marchinhas com letras supostamente incorretas e diz que continuará cantando em seu bloco Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

26/02/2017 18h30

Preta Gil defendeu algumas marchinhas clássicas, como a "Cabeleira do Zezé" e "Maria Sapatão", depois de serem banidas em blocos do Rio e de São Paulo, acusadas de "preconceituosas" e "politicamente incorretas". A declaração aconteceu durante participação no "Domingão do Faustão", da Globo, neste domingo (26).

"A gente precisa tomar muito cuidado porque as pessoas, hoje em dia, levam as coisas a 'ferro e a fogo'. Por exemplo: como é que eu não vou cantar 'Maria sapatão, sapatão..." ou "olha a cabeleira do Zezé'?! Eu duvido se tem alguém gay que se sentiu ofendido por essas músicas. Eu duvido, porque isso faz parte da nossa história, da nossa cultura, a gente não pode apagar a história", disse ela.

Preta alegou que essas músicas foram feitas em épocas onde tudo era tabu, e que as marchinhas serviam para introduzir, de maneira natural, certos assuntos, como a homossexualidade.

"As pessoas brincam comigo dizendo que vão ter que me chamar de 'Afrodescendente Gil', não poderão me chamar de 'Preta Gil'", afirmou. "Gente, é óbvio que pode. O mundo evoluiu, a sociedade evoluiu, tem consciência do que é homofobia, que é agressividade e a violência... a distinção de pessoas por causa da cor, raça, religião, sexo. Isso, sim, é grave. As músicas não trazem nenhum mal à sociedade. Cantei no meu bloco e vou continuar cantando", protestou.

A menos de um mês da folia, algumas marchinhas clássicas, com versos considerados racistas e homofóbicos, foram parar na berlinda em alguns blocos de Carnaval, como A Espetacular Charanga do França, em São Paulo, que cortou "O Teu Cabelo Não Nega", por conta de frases como 'Mas como a cor não pega, mulata / Mulata eu quero teu amor".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
Agência Estado
Estadão Conteúdo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
TV e Famosos
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
Topo