Rio de Janeiro

Fernando Fernandes ficou escondido 1 hora e meia dentro de cobra da Portela

Bruna Prado/UOL
O atleta paralímpico da canoagem Fernando Fernandes desfilou pela escola campeã do Rio de Janeiro, a Portela, dentro da boca de uma cobra em um dos carros alegóricos Imagem: Bruna Prado/UOL

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

01/03/2017 21h30

Estreante na Portela, Fernando Fernandes literalmente suou pela escola campeã do Carnaval do Rio de Janeiro. Para não estragar a grande surpresa da noite, o atleta paralímpico ficou dentro da boca de uma mitológica cobra amazônica por 1 hora e meia antes de entrar na avenida do samba. 

"Essa surpresa obviamente contribuiu para o resultado final", acredita Fernando, que vibrou junto com o público quando a cobra da Portela abriu a boca e ele surgiu dentro de uma canoa na língua do bicho, a cerca de 10 metros de altura.

"Toda vez que a língua saía o público gritava muito. Era uma surpresa para eles. A hora que apareci a galera aplaudiu, vibrou junto. Foi uma das coisas mais emocionantes que fiz na vida, não tinha noção da grandeza", conta o atleta.

Mas não foi só o público que ficou surpreso com a alegoria móvel pensada por Paulo Barros. Fernando só viu a cobra pessoalmente um dia antes do desfile, no domingo.

Ele estava na Noruega gravando para o Esporte Espetacular, da Globo, e para o canal Off, onde estreia um programa ainda este mês. "Eu não tinha noção da grandiosidade, da dimensão que ia ser o carro e o papel que eu estaria na avenida. Foi um desafio."

Significado

Com o tema da Portela "Foi um rio que passou em minha vida", não foi difícil convencer Fernando. O atleta conta que Paulo Barros disse ter feito o carro pensando justamente nele. "A água, a canoa, representam minhas pernas. Era muito maior do que simplesmente estar desfilando. Para mim foi muito especial", conta ele, que perdeu o movimento das pernas depois de um acidente de carro em 2005.

O carro foi todo preparado para recebê-lo. A canoa era acolchoada por dentro e um cinto prendeu a cintura e as pernas de Fernando à alegoria. O atleta subiu com um guindaste e destacou que o tempo todo a equipe estava preocupada com a sua segurança, E Fernando não teve nem como temer depois dos acidentes com as escolas que desfilaram antes da Portela, já que foi o primeiro a entrar no carro e permaneceu lá por horas antes de entrar na avenida.

Eduardo Knapp/Folhapress
Fernando Fernandes é atleta paralímpico Imagem: Eduardo Knapp/Folhapress

Fernando Fernandes ainda não sabe se volta para a avenida com a Portela no ano que vem, mas afirma que seu coração já é azul e branco. "Sempre fui admirador da Portela, gosto muito de samba. Estou orgulhoso por ser um personagem depois de 33 anos que a escola não ganhava."

Se ele volta para o desfile das campeãs, no sábado? Com certeza, e no mesmo lugar. Ele só vai fazer um pedido especial: "Vou pedir para não guardarem a língua da cobra, dessa vez quero ver o desfile todo."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Da Redação
Da Redação
do UOL
Agência Estado
Da Redação
Estadão Conteúdo
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
Topo