CarnaUOL

Anderson Baltar

Escolas do Grupo Especial do Rio iniciam a temporada de contratações

Instagram/Reprodução
Carnavalesco Paulo Barros deixa a Vila Isabel para integrar a Viradouro Imagem: Instagram/Reprodução
Anderson Baltar

Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

21/02/2018 17h37

Ao final de toda temporada de futebol, o noticiário passa a ser quais as contratações que cada clube fará para o próximo ano. No mundo do samba não é diferente. Mal terminou o Carnaval 2018, as escolas de samba do Grupo Especial carioca já deram início a um frenético troca-troca entre seus profissionais em busca de um melhor resultado para o próximo desfile. A contratação de maior impacto veio da Unidos do Viradouro. A escola, recém-promovida de volta ao concurso principal, anunciou a contratação de Paulo Barros, vindo da Unidos de Vila Isabel, onde ficou apenas em nono lugar neste ano. A escola de Niterói também acertou, na tarde desta quarta (21), a volta do mestre Ciça para a sua bateria. Diretor por muitos anos da Viradouro, o mestre estava desde 2015 na União da Ilha.

A escola do bairro de Noel Rosa, por sinal, foi uma das que mais modificou seu time: assim que perdeu Paulo Barros, a Vila Isabel anunciou a contratação de Edson Pereira, carnavalesco que subiu a Viradouro. A renovação também chegou à bateria, onde Chuvisco, mestre contratado à Estácio de Sá, não resistiu às baixas notas dos jurados (apenas um 10, dois 9,9 e um 9,8). Em seu lugar, foi contratado o prata da casa Macaco Branco, músico respeitado no mundo do samba e integrante da banda de Mart´nália. A Vila Isabel também trocou de intérprete: sai Igor Sorriso e entra Tinga, que volta a escola de onde esteve afastado desde o Carnaval de 2013 - por sinal, o último título da Vila. O destino de Igor, um dos cantores da nova geração de maior prestígio, ainda é incerto.

Carnavalesco mais longevo em uma escola do Grupo Especial, Cahê Rodrigues deixou a Imperatriz Leopoldinense, onde estava desde 2013. A escola de Ramos ainda não anunciou seu substituto. A Estação Primeira de Mangueira dispensou a dupla Steven Harper e Adriana Salomão do comando de sua comissão de frente. Sem dúvida, o fraco desempenho da verde e rosa neste quesito foi decisivo. Foram duas notas 9,9 e duas 9,8, que ocasionaram a perda de quatro décimos para a escola – se tivesse “gabaritado”, a Mangueira teria conquistado o título, com 0,1 de vantagem para a Beija-Flor.

Nesta ciranda também existem os profissionais que já estão renovados para o próximo ano. Dentre os carnavalescos, Leandro Vieira (Mangueira), Jorge Silveira (São Clemente), Severo Luzardo (União da Ilha), Rosa Magalhães (Portela) e Alexandre Louzada (Mocidade) já garantiram as permanências em suas escolas.

Ainda há algumas incógnitas. Uma das principais é o que será da Comissão de Carnaval da campeã Beija-Flor de Nilópolis, já que, no dia da apuração, seu mentor, o diretor de Carnaval, Laíla, mostrou-se insatisfeito com a presença do coreógrafo Marcelo Misailidis na preparação do desfile da escola. Laíla anunciou, ainda na Praça da Apoteose, que pediria para sair da escola e trabalhar na Grande Rio, que foi rebaixada para o Grupo de Acesso – na última vez em que a agremiação de Duque de Caxias esteve na divisão inferior, em 1992, Laíla estava na escola e a ajudou a subir.

A situação dos profissionais da Grande Rio também está envolvida em dúvidas. Nos últimos dias, vários boatos afirmam que a escola seria salva do rebaixamento pela Liesa – fato que até agora não se confirmou e já conta com a rejeição de presidentes de escolas como Portela, Mangueira e Mocidade. O fato é que seus funcionários estão em compasso de espera. A se confirmar o rebaixamento da Grande Rio, os carnavalescos Renato Lage e Márcia Lage, o intérprete Emerson Dias, o mestre de bateria Thiago Diogo e os coreógrafos Priscilla Mota e Rodrigo Negri estarão disponíveis no mercado – o que poderá fazer essa ciranda girar ainda mais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
do UOL
do UOL
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Topo