CarnaUOL

Anderson Baltar

Apostando na devoção de seus torcedores, Salgueiro lança enredo sobre Xangô

Bruna Prado/UOL
Desfile das Campeãs - Salgueiro Imagem: Bruna Prado/UOL
Anderson Baltar

Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

29/06/2018 21h20

Com evento restrito aos seus compositores e membros da comunidade, os Acadêmicos do Salgueiro lançaram o enredo “Xangô” para o Carnaval 2019. Assinado pelo carnavalesco Alex de Souza, o tema da vermelho e branco da Tijuca é a realização de um desejo antigo dos torcedores da escola, que têm a divindade como o seu orixá de proteção. Em um evento marcado pela presença das baianas da escola, que prepararam comidas e doces em homenagem a Xangô, foi apresentada a sinopse a partir de onde será composto o samba. A disputa na quadra começará em 11 de agosto e a final do samba será em 11 de outubro.

O desfile salgueirense será dividido em cinco momentos diferentes. O primeiro setor apresenta a figura histórica de Xangô, rei de Oyó (região atualmente pertencente à Nigéria). No segundo setor, a transformação do mito do monarca em um divindade poderosa na religiosidade africana. O terceiro momento do desfile mostra o sincretismo religioso no Brasil e a ligação de Xangô com os rituais de candomblé no Nordeste. O quarto quadro traz a influência do orixá no Salgueiro e homenageia o destaque Júlio Machado, que entrou para a história do Salgueiro ao encarnar Xangô nos desfiles da escola. Como Xangô é conhecido como o orixá da Justiça, o desfile se encerra com um pedido de um Brasil mais justo.

Alex de Souza pediu aos compositores um samba com emoção, para impulsionar o Salgueiro a um grande desfile: “Não queremos samba com muitos detalhes históricos. Queremos um samba forte e inspirador, para que possamos conquistar o Carnaval”, pediu o artista, que também afirmou que o Salgueiro busca uma parceria com a Nigéria para patrocinar o enredo. “Todos os anos, na região de Oyó, acontece um festival mundial de devoção a Xangô. Estamos em contato com os organizadores para tentarmos uma parceria”, informou o carnavalesco.

Confira a sinopse do Salgueiro:

XANGÔ

Abram alas ao Homem que nasce do poder e morre em nome do poder. Apodera-se do trono de seu irmão para se tornar o verdadeiro líder de uma nação.

Sàngó, Rei absoluto, forte, imbatível, Aláàfìn Òyó, o Homem do Palácio; o grande Obá, o grande Rei.

Batam cabeça pro orixá dos raios, trovões e do fogo. “Senhor do Raio” ou “Senhor das Almas”. Viril e atrevido, violento e justiceiro; implacável com os mentirosos, os ladrões e os malfeitores. Xangô é a representação máxima do poder de Olorum. O desafio é feito sempre para confirmar seu poder. O seu machado duplo, seu Oxé, é o símbolo da imparcialidade. É uma divindade da vida, representado pelo fogo ardente e por essa razão não tem afinidade com a morte e nem com os outros orixás que se ligam à morte.

Sàngó, Ioruba Orisà; Nzazi / Loango, Bantu Nkisi;  Xangô, Ketu Orixá; Heviossô, Jeje Vodum;  Chango / Jebioso, Santeria Cubana; Ogoun  Shango , Vodou Haiti.                                                                             

É a realeza nas vestes e a sua riqueza, a sua forma de gerir o poder. Usa o vermelho da nobreza e - se grandes reis pisavam sobre o tapete vermelho - Xangô pisa sobre o fogo.
Três esposas: Oya, que divide o domínio sobre o fogo. Oxum, a mais amada. E Oba, que por amor ao seu rei, foi capaz do seu próprio corpo mutilar.

Divulgação
O logo da Salgueiro para o Carnaval 2019 Imagem: Divulgação

Chega ao Brasil por seus devotados filhos. É cultuado como religião. No Nordeste, influenciado por Daomé, é denominado também de Xangô, em virtude da popularidade e importância da entidade nessa região. A raiz é do Sitio de Pai Adão. É o Xangô de Pernambuco, Xangô do Recife, Xangô do Nordeste e Nagô Egbá.                                                   

Sincretizado: das Pedreiras à São Jerônimo, que amansa o leão e que tem o poder da escrita e escreve na pedra suas leis e seus julgamentos. Na cachoeira, com São João Batista, por causa do batismo de Jesus, de lavar a cabeça na água doce para se purificar. Com o poder do fogo, queima, destruindo tudo o que é de ruim e ocorre a transmutação, trazendo tudo o que é de bom, todo o bem possível, de acordo com o nosso merecimento. Isso é o que pedimos nas fogueiras do mês de junho.

São Judas Tadeu, por ter um livro na mão ligado a trabalhos e pedidos de estudos. São Miguel Arcanjo é guerreiro, não das guerras sem propósito, mas, da guerra de cada um contra seu próprio “demônio”. Miguel desce dos céus com o vermelho em suas roupas, em sua árdua batalha contra o mal, quase sempre apontando de cima para baixo seu golpe. A autoridade máxima de São Pedro, a pedra. O primeiro papa, que tem as chaves da igreja e do céu.                                 

Hoje  os meus olhos estão brilhando, minha querida Bahia, terra abençoada pelos deuses. Felicidade também mora no Salgueiro. Naquela manhã de 1969, o saudoso professor, na escola tijucana, se incorporou pela primeira vez, ao se trajar como o orixá. E daí à eternidade, consagrado como o Xangô do Salgueiro.                                                                         

Senhor do que é justo e correto, como o respeito à igualdade de todos. Se a justiça dos homens tem olhos vendados, onde "todos seriam iguais perante a lei". Os de Xangô estão sempre bem abertos. Apelamos ao supremo tribunal, com seus doze Obás- Ministros de Xangô do Axé Opó Afonjá. Todos serão julgados sem privilégios! Presidido pelo Grande Juiz, que bate o martelo e dá seu veredicto: Chega de impunidade! Seus filhos pedem justiça. Cumpra-se!

Xangô é nosso pai é nosso Rei !  Kawó  Kabiesilé !!!

Alex de Souza

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
do UOL
do UOL
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Topo