CarnaUOL

Anderson Baltar

RJ: Sorteio pode gerar desequilíbrio entre as noites de desfile do Carnaval

Bruna Prado/UOL
Desfile das Campeãs - Beija-Flor Imagem: Bruna Prado/UOL
Anderson Baltar

Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

05/07/2018 19h12

Divulgado nesta quarta-feira (05), o novo formato do sorteio da ordem de desfiles do Grupo Especial para o Carnaval 2019, provocou no mundo do Carnaval uma grande polêmica. Para alguns, serviu para proteger algumas escolas e punir outras. Para outros, pode vir a gerar distorções e desequilíbrio nas duas noites de desfile. De fato, o modelo não agradou à maioria – o que é natural quando surge algo novo e, principalmente, quando a Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) passa por uma crise de credibilidade por conta dos dois últimos anos de regulamento rasgado e rebaixamentos cancelados.

Antes de entrar mais detidamente na questão das regras do sorteio, cabe explicar o porquê da importância de obter uma boa ordem de desfile. Para uma escola ser campeã, é fundamental obter uma posição favorável. Historicamente, as escolas que desfilam no domingo têm menos chances de título do que as de segunda. Assim como, na maioria das vezes, a escola rebaixada acaba sendo a que desfila nas primeiras posições de domingo. As postulantes ao título preferem, invariavelmente, desfilar entre a terceira e quinta posições de segunda-feira - momento em que a avenida está “quente” e, geralmente, os jurados já têm uma visão melhor do que já aconteceu nas duas noites e começam a atribuir as notas com a percepção de quem pode ou não ser campeão.

Feito este preâmbulo, vamos aos fatos. Até o Carnaval 2017, a regra era simples: a campeã do Grupo de Acesso abria o desfile de domingo e a penúltima colocada do ano anterior abria o de segunda. As escolas restantes eram pareadas de acordo com o ranking da Liga/ interesse de público e eram sorteadas. Por exemplo, em 2017, a Portela fez par com o Salgueiro e a Beija-Flor com a Mangueira. A cada par, uma escola ia para o domingo, outro para a segunda. Isso garantia que os dois dias de desfile tivessem escolas de peso semelhante, contribuindo para o equilíbrio das apresentações.

Após os acidentes e a decisão de não haver rebaixamento no Carnaval 2017, o Grupo Especial passou de 13 para 12 escolas – o que, em um primeiro momento, causou problemas para o sistema de pares. Mas, ainda assim, foi encontrada uma solução e os pares continuaram. O Império Serrano, que veio do Acesso, abriu o Carnaval 2018. Unidos da Tijuca, 11ª colocada em 2017, iniciou a noite de segunda. E o Paraíso do Tuiuti, que deveria ter sido rebaixado, foi colocado para encerrar a noite de domingo (no sorteio, trocou de posição com a Mocidade Independente de Padre Miguel e foi a quarta a desfilar). As dez escolas seguintes foram pareadas.

Passou o Carnaval 2018 e, mais uma vez, a virada de mesa: Império Serrano e Grande Rio não foram rebaixadas. Com a ascensão da Unidos do Viradouro, o Grupo Especial voltou a ter as 14 escolas de praxe de durante grande parte dos últimos 20 anos (cabe lembrar que a Cidade do Samba, construída para abrigar os barracões, possui 14 galpões). Porém, o sistema de pareamento ficou comprometido com o fato de que Império Serrano e Grande Rio não poderiam ser favorecidos com posições nobres na ordem de desfiles.

Neste ponto, acho um acerto a colocação destas duas escolas nas primeiras posições do desfile de domingo em conjunto com a Viradouro. Apenas não entendi o fato de o Império Serrano abrir, já que, por força do regulamento, essa vaga deveria ser da Viradouro. E não vale argumentar que as regras não valem mais nada, afinal a São Clemente, 11ª colocada de 2018, abrirá a segunda-feira – em conformidade com o regulamento e com inteira justiça. Algumas pessoas disseram que o Império e a Grande Rio poderiam ter essa posição. Discordo. Segunda-feira é a noite nobre e deve ser ocupada por quem está no Grupo Especial por mérito e não por virada de mesa.

Desta forma, com quatro escolas (três no domingo) com posições fixas, tornou-se impossível o pareamento. Afinal, existem apenas quatro vagas disponíveis para domingo e seis para segunda. Para resolver o problema, o sorteio das dez posições diferentes por cada escola, de acordo com a classificação de 2018. A campeã Beija-Flor será a primeira a sortear e a União da Ilha, décima colocada, a última. Quem tirar as bolas numeradas de 1 a 4 desfilará no domingo. As bolas de 5 a 10 garantirão a vaga na segunda-feira. Em seguida, um novo sorteio definirá as posições dentro das noites de desfile.

Porém, esse sistema permitirá algo que o modelo anterior não permitia. Podemos ter, por exemplo, Beija-Flor, Mangueira, Portela, Mocidade e Salgueiro desfilando na segunda-feira, deixando o domingo com um nível mais fraco. Esse é um risco real, mas que pode ser quebrado até pela inusual presença do Paraíso do Tuiuti como segunda escola a sortear sua ordem e com grandes possibilidades de tirar uma vaga no desfile de segunda. Torçamos para que as bolinhas consigam garantir um mínimo de equilíbrio entre as duas noites.

Na verdade, a boa novidade deste sorteio é a proibição das trocas de posições. No sistema antigo, quando uma escola de menor peso político/econômico sorteava uma boa posição, logo era chamada para conversar por uma maior que, invariavelmente, conseguia a troca. Sem a possibilidade de mudanças, estas escolas poderão, com mais tranquilidade, se planejar para fazer bons desfiles e alcançar classificações mais satisfatórias.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
do UOL
do UOL
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Anderson Baltar
Topo