CarnaUOL

Salvador

"Popa da Bunda" e "Hipnotizou": veja os candidatos a hit do Carnaval baiano

Pablicio Vieira/Afpontes/Divulgação
Psirico, de Márcio Victor, aposta no hit "Popa da Bunda" Imagem: Pablicio Vieira/Afpontes/Divulgação

Luciano Matos

Colaboração para o UOL

04/01/2018 17h53

A uma altura dessas em outros verões, você provavelmente já sabia cantar pelo menos algumas das novas músicas do Carnaval baiano. Os tempos são outros, a Axé Music já não tem a mesma força e não detém mais a preferência do gosto do brasileiro, dando lugar ao sertanejo e ao funk. Não é de surpreender que entre as 100 músicas mais tocadas nas rádios brasileiras em 2017, nenhuma seja dos consagrados artistas baianos. Mesmo assim, a festa de Salvador ainda apresenta suas novidades, e, como todo ano, novas músicas são lançadas e disputarão o gosto do público como hit do verão.

Pelo menos o gosto de quem ainda curte a festa nas ruas, blocos e camarotes na capital baiana. As preferidas para eles já começaram a aparecer. Em 2018, quem deve emplacar as principais músicas são os artistas como Léo Santana, Psirico, Harmonia do Samba e uma novidade que desponta com um nome meio estranho, ÁttooxxÁ. Com shows regulares e os famosos ensaios super disputados, o mundo do pagode baiano é quem dá o tom e nas ruas, guetos, favelas é quem tem mais apelo popular. Os sucessos de Pablo Vittar, Anitta, Wesley Safadão e outros nomes do funk e do sertanejo, porém, também devem ocupar grande espaço no Carnaval de Salvador.

Manuela Scarpa/Brazil News
Harmonia do Samba tem música em parceria com Léo Santana Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

Uma característica desse ano nos artistas baianos foi a busca de parcerias para conquistar um público mais amplo e não se desconectar da turma mais jovens. Vários artistas estão atrelando os ritmos baianos ao funk ou sertanejo, ou mesmo juntando forças com outro nome da música baiana. Ivete, por exemplo, gravou com MC Livinho e com Wesley Safadão, Harmonia do Samba com Anitta, Léo Santana com MC Charles, Claudia Leitte lançou uma faixa com Maiara& Maraisa e vai lançar outra com PitBull. Entre as parcerias entre os baianos, Harmonia fez uma com Léo Santana, Ivete com Márcio Vitor, enquanto Durval  Lelys apostou numa música com Claudia Leitte como convidada.

"Popa da Bunda" - Uma das músicas favoritas a hit do verão e do Carnaval baiano é a parceira do Psirico com um outro grupo bem novo, o ÀTTØØXXÁ, como é corretamente grafado. "Elas Gostam (Popa da Bunda)" foi, na verdade, composta e lançada inicialmente pelo grupo criado por Rafa Dias, produtor que tem dado novos ares ao pagode baiano. Assim que conheceu, Márcio Victor quis gravar, mas Dias pediu para esperar. Léo Santana também quis gravar, mas com o acordo com o Psirico, acabou só incluindo no repertório de seus shows. Foi o suficiente para "Popa da Bunda" cair na internet e viralizar. Quatro meses depois, um dos primeiros vídeos tem mais de um milhão de views no youtube.

Pouco depois Márcio Victor e o Psirico gravaram a música com produção ÀTTØØXXÁ e chamaram o Fitdance, famoso canal de dança, para fazer a coreografia. Foram certeiros e "Popa da Bunda" se tornou um sucesso nas ruas de Salvador. Caiu no gosto popular e na de vários outros artistas, com nomes do pagode e de fora do universo baiano, como Wesley Safadão e Aviões do Forró, inserindo-a nos seus repertórios.


"Rebola Raba" - Com uma letra simples com a típica pegada do pagode, a música traz de novidade a proposta de produção e arranjos, com a tradicional quebradeira rítmica e percussiva combinada com beats, synths e graves altos. Marcas do trabalho de Rafa Dias e seus parceiros. No rastro do sucesso, o ÁttooxxÁ passou a se apresentar em lugares maiores e lançou duas novas músicas como investidas para o verão: "Rebola Raba" e "Tábatenu". O grupo também aparece numa parceria com outro medalhão do pagode baiano, Ed City, na música "Baile de Preto".

 

"Hipnotizou" - Além de "Popa da Bunda", outras músicas do pagode podem se tornar os sucessos do verão e do Carnaval. O Harmonia do Samba apostou em duas novas, lançadas em seu DVD de 2017. "Tic Nervoso", com participação de Anitta já tem quase 10 milhões de views, mas é "Hipnotizou" a que promete mais. Ela tem Xanddy dividindo os vocais com Léo Santana e um refrão simples, fácil de decorar e com a cara das ruas. A música está entre as mais tocadas nas rádios populares de Salvador, sendo uma das poucas fora do ambiente sertanejo/funk.

 

"Várias Novinhas" - O próprio Léo Santana tem outras duas que também entram na disputa: "Dia de Baile" é uma delas, mas "Várias Novinhas", tem ainda mais potencial. Quem duvida que os versos “Eu já tô vendo/ Várias novinhas descendo/ Vai descendo, vai descendo” tenha um forte apelo popular? A música já superou os 4 milhões de views no YouTube e ganhou clipe em parceira com KondZilla.


 


"Banzeiro" - Fora do pagode, umas das promessas de sucesso é "Banzeiro", novo trabalho de Daniela Mercury. A faixa foi composta por Dona Onete, uma cantora e compositora paraense de 78 anos, que tem obtido um sucesso tardio e tem feito shows na Europa e Estados Unidos. A versão feita por Daniela segue um caminho mais próximo de carnavais mais tradicionais, uma espécie de marchinha mesclada com frevo e galope, com tema leve e distante dos apelos sensuais do pagode. Com Daniela, a faixa ganhou também um super produzido clipe, que reúne 99 artistas, entre bailarinos, modelos, drags, trans, atores e crianças e já alcançou mais de um milhão de views no YouTube.


 

"Coisa Milenar" - Quem corre por fora é Margareth Menezes, com "Coisa Milenar", que traz versos de Jorge Portugal com referências elementos da cultura afro-baiana. "Chama a galera do Gantois / Convida o povo do Curuzu / Que a nossa festa vai começar/ É Gêge, Banto, Yorubá, Nagô". Especialmente por ser uma cantora mais fora do universo das celebridades, é improvável fazer um grande sucesso, mas é uma das poucas que seguem apostando num caminho mais poético.


 


"Baldin de Gelo" - Mesmo em Salvador, os ritmos ligados à cultura afro, como o samba reggae e o ijexá, estão cada vez mais distantes dos sucessos populares. Em compensação, o diálogo com os ritmos da moda está mais forte. No rastro do sucesso de "Despacito" e do funk, Claudia Leitte é uma das que tem apostado em misturas que enveredam por reggaeton, pop e o ritmo originário dos morros cariocas. Como em "Lacradora" e "Baldin de Gelo", ambas com muitas visualizações no YouTube, 2,5 e 23 milhões, respectivamente.

 

"No Groove" - Ivete Sangalo trilhou os mesmos caminhos. "À Vontade", com Wesley Safadão, e "Cheguei Pra Te Amar", com Livinho, em nada lembram as origens da cantora e soam mais como tentativas de se inserir num novo mercado. Se não vai cantar no Carnaval 2018 por causa da gravidez, Sangalo pode emplacar com "No Groove". A música traz elementos que combinam mais com a festa de Salvador, com suingue, percussão e refrão para cantar atrás do trio elétrico. A faixa tem participação de Márcio Victor e é a grande aposta da cantora para a festa, mas sem ela mesmo para defender a música é mais difícil se tornar hit.

 

"Bela do Baile" - No ritmo, nos arranjos, nas letras, muitas das músicas seguem a linha funknejo, pagofunk e arrofunk, abandonando muito do que a indústria do Carnaval baiano vendeu durante anos. Nada de falar de “trio elétrico”, “carnaval”, ou mesmo nome dos blocos. No lugar disso, as tags passaram a ser “lacradora”, “paredão”, “chandon”, “balada”, “sarrada”, “pista”, termos típicos do funk e do neo sertanejo, agora incorporadas às letras dos artistas baianos. Além de Ivete e Claudia Leitte, quem também seguiu esse caminho foi o veterano Durval Lelys com a música "Bela do Baile", que conta com participação de Cláudia Leitte. Aos 60 anos, ele segue tentando emplacar um novo sucesso agora com uma letra que tem no refrão os versos “Bumbum pra cá, bumbum pra lá”.

 

Correndo por fora

Quem promete lançar música nova próximo ao Carnaval é o BaianaSystem, um dos fenômenos da atualidade da capital baiana. Pode ser a surpresa de 2018. Mas enquanto o Carnaval não chega e o clima de verão domina as ruas, a Bahia segue tentando emplacar seus hits e voltar a marcar presença entre as músicas mais ouvidas do país. Se os ícones da Axé Music, os grandes nomes do pagode baiano ou os novos artistas que surgem vão conseguir, ainda não se sabe. Na Bahia, pelo menos, eles seguem no mínimo dividindo espaço com os badalados artistas da atualidade. Sem preconceitos.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo