CarnaUOL

Blocos de rua

Tem até de unicórnio! Purpurina faz sucesso em blocos de Carnaval no Rio

Giovani Lettiere/UOL
Maíra Inaê aplica purpurina biodegradável na professora Moema Duberley em bloco de Carnaval do Rio Imagem: Giovani Lettiere/UOL

Giovani Lettiere

Colaboração para o UOL, no Rio

09/01/2018 04h00

Todo mundo pode brilhar --e muito-- no Carnaval. Ainda mais agora, com a febre de pessoas que aproveitam a folia e ainda fazem uma graninha extra aplicando purpurina nos clientes foliões. Durante o desfile do bloco Orquestra Voadora, no domingo (7), no centro do Rio, o casal de namorados Ana Karenina Riehl, de 26 anos, e Leonardo Amatuzzi, 31, anunciava sua curiosa "Purpuryna de Unicórnio" a R$ 5. Chegou a fazer fila.

Giovani Lettiere
Leonardo Amatuzzi e Ana Karenina Riehl oferecem serviço de purpurina Imagem: Giovani Lettiere
"Ana é apaixonada por unicórnio e o animal mitológico está na moda. Ele é colorido e brilhoso, tudo a ver com o Carnaval. Daí tivemos a ideia de juntar as duas coisas", explicou Leonardo, que é arqueólogo.

Para a aplicação do glitter "escama" (maior do que a comum), Ana, que além de atriz é maquiadora, borrifa água no rosto dos foliões. "Para grudar a purpurina e também evita dar alergia nas pessoas. Sem falar que facilita na hora de sair depois no banho", explicou Ana, em sua segunda folia oferecendo o serviço.

 

Giovani Lettiere/UOL
Ana Karenina Riehl aplica purpurina em Pedro Lucas dos Santos Imagem: Giovani Lettiere/UOL
Além da purpurina, a maquiagem "unicórnio" consiste na aplicação de pequenas pedras coloridas no rosto. O assistente de telemarketing Pedro Lucas dos Santos, de 24 anos, aprovou o resultado. "Gosto de experimentar e de tudo que é diferente para me expressar. O trabalho dela é muito bom", elogiou Pedro.

Já as amigas e sócias Maíra Inaê, de 27 anos, e Noemi Puig, 24, que se autointitulavam "empresárias do brilho", ofereciam glitter biodegradável durante os blocos deste domingo no Centro do Rio.

Giovani Lettiere/UOL
Maíra Inaê aplica purpurina biodegradável na professora Moema Duberley Imagem: Giovani Lettiere/UOL
"A nossa purpurina é feita com base de celulose de eucalipto. A normal é feita de microplástico e polui os rios. A nossa traz uma conscientização, é toda natural, com mistura feita com manteiga de carité e óleo de jojoba", explicou Maíra.

A novidade tem um preço mais salgado do que o glitter normal. Uma latinha custa R$ 35 e rende muitas aplicações durante a folia. Mesmo mais cara, a professora Moema Duberlay, de 30 anos, preferiu a purpurina biodegradável. "Tem tudo a ver com o Carnaval e é mais ecológica", sentenciou ela.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo