CarnaUOL

Blocos de rua

Metrô interrompido e multidão marcam o Carnaval de sábado em Pinheiros, SP

Sara Puerta

Colaboração para o UOL

03/02/2018 19h01

Se nos finais de semana anteriores, São Paulo já se agitava com pré-Carnaval, os ensaios e festas dos blocos, neste sábado (3), o clima da festa tomou geral a cidade. Os transportes públicos ficaram lotados de pessoas fantasiadas.

O "gargalo" neste sábado foi a região de Pinheiros, que recebeu um dos maiores blocos da cidade, o Casa Comigo, que tem como destaque a modelo e atriz Ellen Jabour.
 
Por volta do meio-dia, centenas de "noivinhos", "noivinhas" enchiam a Avenida Faria Lima. E também – por que não? – padres, como Márcio Reis, com fantasia religiosa, distribuía  bênçãos  e hóstias de pão de queijo. " Por que não dar as bênçãos aos casais que se formam no Carnaval?", brincou.
 
Além das fantasias tradicionais relacionadas ao casamento no bloco, destacam-se os criativos que utilizam piadas da atualidade nas redes, como as com o nome Enzo e a de Jojo Todinho, do hit "Que tiro foi esse?", sem falar nas "tiradas" em plaquinhas penduradas no pescoço. 
 
Edson Lopes Jr./UOL
Imagem: Edson Lopes Jr./UOL
 
Raphael Guedes, um dos fundadores do Casa Comigo, comemora o sucesso crescente do bloco, sem se importar se é o maior ou um dos maiores blocos da cidade. "O importante é entregar essa festa maravilhosa, que as pessoas curtem muito e sempre querem voltar."
 
Ale Youssef, presidente do Acadêmicos do Baixo Augusta, também estava presente no desfile do Casa Comigo e diz que o carnaval da cidade faz jus ao tamanho e ao que ela merece. "É preciso cada vez mais avançar com o povo na rua e com liberdade".
 
Às 16h, a Linha Amarela interrompeu o trajeto entre a estação Luz e Faria Lima, fazendo apenas viagens no sentido Fradique-Butantã, para conter o grande número de pessoas. A solução de quem queria curtir o Carnaval foi descer a Avenida Rebouças a pé.
 
O Largo da Batata no horário estava lotado, com total dificuldade de locomoção. 
 
Mesmo com a lotação, não foram vistos tumultos e brigas, as pessoas levaram numa boa e começaram a gritar em coro: "Mano do Céu".
 

Homenagem à Rita Lee

Não muito distante dali, na Rua dos Pinheiros, o bloco Ritaleena, que recria as canções da cantora Rita Lee, na versão carnaval, arrastava diversas gerações pelas ruas do bairro.
 
Entre elas, Edimeia Giffoni, 69, e Elisa Turini, 70, aposentadas e moradoras da Avenida Henrique Schaumann. "Acompanhamos o Ritaleena há quatro anos e para nós é o melhor bloco", disse Edimeia.
 
Alessa, fundadora e puxadora do bloco, avalia que a presença da "avó, mãe e filha" e o girl power são uma marca do Bloco. "Escolhemos homenagear a Rita Lee por ser uma mulher, ícone de São Paulo e que atravessou décadas com muita atitude e muita música boa."
 
Laís Reis, formada em Letras, aproveitou o Ritaleena para vender seus "geladinhos alcoólicos", incluindo o "Geladinho Selvagem", uma mistura de catuaba selvagem com leite ninho e leite condensado.
 
" A gente vai testando os blocos para ver qual vende mais. Essa está indo bem e geralmente é uma renda que dá para pagar as contas. A única coisa chata é lidar com os caras que chegam com xaveco furado, pedindo beijo quando compram nosso produto."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Arcanjo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
Topo