CarnaUOL

Minas Gerais

Explode Corazón transforma casa de show em quadra de escola de samba em BH

Marcus Desimoni/UOL
Festa Explode Corazón, em BH, ao som do bloco Unidos Samba Queixinho Imagem: Marcus Desimoni/UOL

Bruno Moreno

Colaboração para o UOL, em BH

04/02/2018 18h47

O bloco Explode Corazón reconfigurou os antigos bailes de Carnaval e transformou uma casa de shows em quadra de escola de samba, na tarde deste domingo (4), em Belo Horizonte. Em função da previsão de chuva, a apresentação precisou mudar o local da festa, em cima da hora, para um lugar fechado. No entanto, a troca não afetou a animação dos músicos e dos foliões.

Na programação anteriormente divulgada, o bloco desfilaria na rua Sapucaí, no bairro Floresta, reduto da nova boêmia da capital mineira, e também sede do bar Mi Corazón, que dá nome ao bloco. No entanto, com a possibilidade de molhar os foliões, na última semana os organizadores decidiram realizar a festa no Music Hall, uma casa de espetáculos, no bairro Santa Efigênia.

A escolha se mostrou acertada, já que durante toda a tarde deste domingo a chuva esteve presente na capital mineira, ora mais forte, ora mais suave. Mais de 8 mil ingressos haviam sido distribuídos, mas a lotação da casa era de 2 mil pessoas. Por isso, houve revezamento ao longo dos shows.

Foram convidadas duas atrações para a folia: o bloco Unidos do Samba Queixinho, que fez um show animado de uma hora e meia, enquanto a Bartucada divertiu o público por quase duas horas.

Na galera

Pouco antes de terminar a apresentação, a bateria do Bloco Queixinho desceu do palco e foi para a galera. A cientista social Larissa Jeber, 24 anos, estava ao lado da bateria, e adorou a iniciativa.

“Eu vim por causa da Bartucada, que eu já conhecia, mas achei ótimo o show do Samba Queixinho. Valeu muito a pena”, afirmou.

Já a amiga dela, a fisioterapeuta Priscila Lorenzatto, 29 anos, também acompanhou a apresentação do Samba Queixinho pela primeira vez. “Quando a bateria desceu foi muito massa! Agora é a Bartucada”.

E a espera não foi em vão. Quando subiu ao palco com guitarra, teclados, baixo e metais juntos à percussão, a Bartucada inflamou o público. No repertório, releituras no ritmo de samba de clássicos do axé, rock e pop nacional, como Lulu Santos, Titãs, Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso, Skank e Raul Seixas, Banda Eva, Chiclete com Banana e É o Tchan, além de internacionais, como Bob Marley.

Fundada em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, a Bartucada completa neste ano 46 Carnavais, sendo que em 43 anos as apresentações durante a festa de Momo foram exclusivamente na cidade histórica.

Marcus Desimoni/UOL
Explode Corazón reconfigurou os antigos bailes de Carnaval e transformou uma casa de shows em quadra de escola de samba, neste domingo (4), em Belo Horizonte Imagem: Marcus Desimoni/UOL

30 mil foliões

Em 2018 será a primeira vez que a Bartucada se apresentará na capital mineira durante o Carnaval, com direito a trio elétrico. O show deste domingo foi um aperitivo da animação que o grupo levará às ruas de Belo Horizonte.

A folia está agendada para o dia 13 de fevereiro, a partir das 14h, na esquina das avenidas Afonso Pena e Brasil.

“Como Belo Horizonte já tem o quarto maior Carnaval do país, a gente tinha que vir tocar aqui, fazer o Carnaval para o maior número possível de pessoas. A expectativa é que 30 mil pessoas nos acompanhem”, afirma o patrono do grupo, José Fernando Castro, 28 anos.

Com quase 160 associados, o grupo se apresenta com ao menos 30 integrantes no palco. Neste Carnaval, além de Belo Horizonte e Diamantina, a Bartucada tem agendados shows em mais seis cidades, sendo dois fora do estado (Rio de Janeiro e Espírito Santo).

Marcus Desimoni/UOL
Público foi ao delírio com apresentações em Belo Horizonte Imagem: Marcus Desimoni/UOL

Queixinho

O bloco Unidos do Samba Queixinho surgiu em 2009, e até o ano de 2015 realizou as apresentações na praça da Liberdade, na região Centro-Sul de Beagá. Em 2016, com a intenção de descentralizar o Carnaval, mudou a festa para a Pampulha e, no ano passado, a apresentação foi na avenida Nossa Senhora de Fátima, no bairro Carlos Prates. Em 2017, o bloco retornará à praça da Liberdade, no próximo domingo (11), às 14h.

“Nós tocamos clássicos de samba-enredo, pop, funk, ijexá, forró e pagode, com paradinhas e chamadinhas, com as características das melhores escolas de samba”, explica o presidente do bloco, o músico e mestre de bateria Gustavo Caetano, também responsável pelos arranjos.

O grupo começou com dez amigos, e hoje conta com 100 membros, incluindo os cantores Maria Elisa Pompeu, Álvaro Ferr, Brenda Viera e Alessandra Sales, que também toca violão. Eles ensaiam ao longo do ano todo para fazer bonito no Carnaval.

Neste ano, o Samba Queixinho faz homenagem ao teatro de bonecos Giramundo, com o tema “Apocalypse do Queixinho”, em referência ao fundador do Giramundo, Álvaro Apocalypse.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo