CarnaUOL

Minas Gerais

Mulher trans negra: Ausência da rainha Cristal Lopez comove Carnaval de BH

Leonardo Lima/Clix/Divulgação
Em 2018, Cristal desfilou apenas no pré-Carnaval Imagem: Leonardo Lima/Clix/Divulgação

Miguel Arcanjo Prado

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

13/02/2018 20h08

O maior símbolo da folia na capital mineira não esteve nas ruas este ano à frente das baterias dos melhores blocos. Cristal Lopez, rainha absoluta do Carnaval de Belo Horizonte, ficou doente às vésperas da folia e segue internada em um hospital da capital mineira, onde se recupera com coroa na cabeça, plumas e paetês, conforme apurou o UOL.

Ela chegou a desfilar apenas no pré-Carnaval do bloco feminista Sagrada Profana. Mulher trans, negra e periférica, Cristal é a própria imagem da retomada do Carnaval democrático e com respeito a todos construído pelo povo da capital mineira.

O Carnaval de Belo Horizonte ressurgiu nos últimos anos devido a um grupo de jovens politizados que resolve recuperar a festa na cidade que era um deserto na folia.

Tanto que, num primeiro momento, foi fortemente reprimido pelo poder público que hoje busca abraçar a festa que celebra recorde de 3,6 milhões de foliões.

Coroada pelo povo

Primeira mulher trans a ter o título de rainha do Carnaval de BH, concedido pelo povo e não pela Prefeitura de Belo Horizonte, Cristal gosta de definir a folia como "uma alegria democrática".

Ela lembra sempre que na festa tabus sociais referentes ao gênero e à orientação sexual ficam mais leves. E que gostaria que fosse assim o ano todo. "Os homens héteros cis que no resto do ano ridicularizam as trans, no Carnaval se vestem de mulher. Por que no Carnaval se respeita todo mundo e depois esse respeito se perde? Fervo não está distante da política", diz ela em um vídeo sobre a folia.

Longe da festa, Cristal foi celebrada nos desfiles dos blocos dos quais é rainha: Garotas Solteiras, Alô Abacaxi, Magnólia, Angola Janga e Cintura Fina. Na Corte Devassa, onde também desfila reinante, foi aclamada também. O cantor Veronez, vocalista da Corte, afirma que a falta da amiga na folia é gigante. "A ausência da Cristal no Carnaval de BH 2018 é muito triste", avalia.

"A Cristal Lopez ser a cara e a rainha do Carnaval de Belo Horizonte só prova que é um Carnaval nascido das pessoas e não das instituições. Porque instituição nenhuma colocaria Cristal como rainha. Só as pessoas foram capazes de fazer isso. Tem coisa mais bonita do que ser aclamada pelo desejo democrático e não por algo imposto por cima?", diz.

"Estamos torcendo pela recuperação de Cristal e prometemos fazer uma festa de Carnaval assim que ela tiver recuperada", avisa Veronez.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo