CarnaUOL

Blocos de rua

Proibido de montar palco, Me Beija Que eu sou Cineasta faz baile em teatro

Elis Bartonelli

Do UOL, no Rio

14/02/2018 12h37

Mesmo proibido pela prefeitura do Rio de montar seu palco na Praça Floriano, na Cinelândia, o bloco Me Beija Que eu sou Cineasta não deixou de fazer o seu Carnaval. O grupo que há 14 anos reúne profissionais do cinema, da cultura e admiradores das artes em geral foi acolhido pelo Teatro Rival, também na Cinelândia, e fez um baile com direito a marchinhas, sucessos da música brasileira e de trilhas sonoras do cinema.

"Este ano estamos com a campanha "Me respeite". Respeite a minha cor, minha sexualidade, meu axé, minha individualidade", explicou Natara Ney, uma das organizadoras.

Antes de subir no palco, onde tocaram com bateria e guitarra, a banda fez um pequeno cortejo apenas com percussão e instrumentos de sopro pela praça Floriano, enquanto os foliões iam chegando aos poucos. O baile reuniu seguidores antigos e estreantes, todos com duras críticas à gestão do prefeito Marcelo Crivella.

"Adoro o bloco, é um clássico do Carnaval. Essa atitude da prefeitura foi ridícula. Não dá pra brincar de Carnaval com um prefeito intolerante. Não dá nem pra ter cidade. Mas o Carnaval é uma festa do povo”, disse a montadora de cinema Mariana Penedo, 38, que sai no Me Beija desde o primeiro ano.

A médica Mônica Lanksznevr, 44, vem todo ano conferir o bloco. Este ano, ela trouxe o marido, o filho e amigos que vieram do Paraná para o Rio curtir a folia. "Adoro o bloco, o repertório, o clima. A iniciativa do Rival de acolher o pessoal foi fantástica", avaliou.

A produtora de cinema Priscila Reis também conhece o bloco desde os primeiros anos. Para ela, o baile no Rival tem um significado especial. "Essa situação nos trouxe para dentro de um templo, um lugar histórico para a cultura do Rio. O que queremos dizer é que esta atitude da prefeitura foi um tiro no pé. Não adianta bater, vamos resistir”, garante.

A digitalizadora e astróloga Isadora Machado, 28, veio curtir o Me Beija pela primeira vez, mas é frequentadora assídua do Teatro Rival e aprovou a atitude do espaço: “Carnaval é um ato político. É muito importante ter a resistência”. O ator Ronaldo Mourão, 47 anos, também fez sua estreia como folião do bloco, mas não deixou de lado as críticas ao prefeito. “Ele deixou a cidade às moscas, desorganizados e sem estrutura. É uma estratégia para dizerem que o carnaval deixa tudo uma bagunça e depois acabarem com ele”, apontou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Arcanjo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
Topo